Defesa de líder antiesclavagista mauritano denuncia perseguição

Nouakchott, Mauritânia (PANA) - Os advogados de Biram Ould Dah Ould Abeid, líder da Iniciativa do Ressurgimento do Movimento Abolicionista (IRA), uma Organização não Governamental (ONG) antiesclavagista, denunciaram "uma perseguição político-judicial" contra o seu cliente, detido desde terça-feira, na capital mauritana, Nouakchott.

Os defensores de Biram Abeid alertaram igualmente a comunidade e as instituições internacionais da perspetiva provável de "detenção provisória" do seu constituinte.

Eles descrevem Abeid como "um dos atores mais eminentes da sociedade civil" na Mauritânia, a nível africano e internacional, tendo recebido o prémio da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos (em 2013) antes de ser candidato às presidenciais de 2014.

A declaração dos advogados apresenta Ould Abeid como um homem "que deseja encarnar uma alternância possível ao Presidente Mohamed Ould Abdel Aziz, que prossegue uma política obstinada de depredação dos recursos públicos e do seu corolário, o destrato de todas as vozes dissidentes, incluindo os membros do Senado, como Mohamed Ould Ghadda".

Este último é perseguido por "corrupção" e está em detenção preventiva há perto de um ano.

Biram Ould Dah Ould Abeid é o cabeça-de-lista nacional da coligação entre a SAWAB e o Partido Radical Para uma Ação Global (RAG), uma aliança entre uma formação do movimento nacionalista árabe e uma organização antiesclavagista na perspetiva das eleições legislativas previstas para 1 de setembro próximo.

-0- PANA SAS/JSG/MAR/IZ 08agosto2018

08 Agosto 2018 20:17:17


xhtml CSS