Debate sobre Governo africano foi penoso - Konaré

Accra- Gana (PANA) -- O debate sobre a criação dum Governo africano foi difícil "e mesmo penoso", afirmou terça-feira à noite em Accra o presidente da Comissão da União Africana (UA), Alpha Oumar Konaré, no final da Nona Cimeira Ordinária da organização continental.
Konaré disse, no entanto, que "isto mostra o trabalho que teremos de fazer para que as principais instâncias de decisão estejam ao mesmo nível de informação com vista a tomar decisões correctas".
O presidente da Comissão da UA confirmou que o seu mandato foi prolongado de seis meses.
"Permaneço até Janeiro porque as condições não estavam reunidas para uma eleição", disse, revelando que novas candidaturas serão anunciadas.
"Lamento que as próximas eleições correm o risco de se fazer em bases antigas cujos limites foram demonstrados.
Quer dizer, um presidente da Comissão que não deverá escolher os comissários, regras e estruturas que estão ultrapassadas e que a auditaria vai demonstrar", acrescentou.
Relativamente ao "Grande debate" à porta fechada sobre o Governo federal africano que polarizou a atenção durante dois dias na capital ganense, uma fonte segura disse que ele "foi sem concessão".
De acordo com contagens efectuadas pelo Secretariado da UA, 41 chefes de Estado e de Governo africanos pronunciaram-se durante o debate sobre o Governo de união, único ponto na agenda da Cimeira de Accra.
Pelo menos 17 países agrupados em redor da África do Sul exprimiram claramente a sua oposição à instauração dum Governo continental.
Ao contrário, 15 Estados reafirmaram a sua adesão a um Governo de união, enquanto nove países declararam ser favoráveis a este Governo, contanto que se faça de maneira gradual.
Com base nestas estatísticas, o Presidente Thabo Mbeki disse, de acordo com a nossa fonte, que a maioria se pronunciou a favor do "Não".
Esta interpretação foi rejeitada pelo Presidente senegalês, Abdoulaye Wade, que classificou os nove Estados "gradualistas" na fileira dos países que querem ir ao Governo de união, o que eleva o seu número para 24.
Para se chegar a um compromisso, o Presidente do Senegal propôs a criação duma comissão encarregue de fazer a síntese dos trabalhos e elaborar um roteiro com objectivos precisos.
Isto permitiu desembocar no único compromisso que institui um Conselho Ministerial encarregue de harmonizar a estratégia para a criação do Governo de união.

04 Julho 2007 10:04:00




xhtml CSS