Crise financeira mundial faz manchete de jornais líbios

Tripoli- Líbia (PANA) -- A crise que assola actualmente o sistema financeiro mundial é o principal assunto abordado esta semana pelos jornais líbios que se interessaram nomeadamente pelas estratégias adoptadas pela Líbia para enfrentar os seus impactos sobre a economia do país.
O diário Al-Chams, ao referir-se aos resultados da reunião do Alto Comité Líbio de Seguimento da Crise, regozija-se porque a Líbia não foi afectada graças a cerca de 80 por cento dos seus investimentos que são financiamentos sob a forma de depósitos que felizmente não foram atingidos.
O jornal recorda as medidas tomadas pelo Alto Comité Líbio relativas ao investimento directo atinente aos títulos e à compra de acções em certas instituições internacionais, assim como a concentração nas áreas de alto rendimento económico, tais como o petróleo, o imobiliário, a indústria farmacêutica, equipamentos, as comunicações e o agro-alimentar.
Por sua vez, o jornal Qurayna, que se interessou pela inflação e pela carestia da vida, acusa factores externos, como a alta dos preços do petróleo e da energia, a hegemonia das grandes potências, a dominação das grandes empresas mundiais, a persistência da crise e as tensões políticas e factores internos, como o monopólio e a cobiça dos comerciantes e dos agentes imobiliários.
Para este jornal, a abordagem global da inflação e da alta dos preços exigem a continuação da aplicação das novas políticas, nomeadamente preventivas, para tratar a questão a fundo e não os sintomas momentâneos do fenómeno.
Por sua vez, o diário Oya debruçou-se sobre o fenómeno da alta dos preços no mercado líbio neste período que coincidiu com o Aïd Al-Fitr (festa do fim do ramadão) e a retomada das aulas.
O jornal apela ao Estado para intervir a fim de subvencionar apetrechos escolares, por um lado, e, por outro lado, para activar o seu papel de discalizador dos preços e não apenas de se limitar a anular as taxas sobre os manuais escolares.

04 Outubro 2008 15:58:00


xhtml CSS