Contribuições em atraso continuam a obstruir finanças da UA

Sirtes- Líbia (PANA) -- O sub-comité das contribuições da União Africana (UE) estabelece uma constatação alarmante da situação das cotizações dos Estados membros para o orçamento de 2009, segundo um relatório a que a PANA teve acesso sexta-feira em Sirtes, no centro da Líbia.
Neste relatório destinado ao Comité dos Representantes Permanentes (COREP) cuja 18ª sessão ordinária se iniciou quarta-feira última, em Sirtes (600 quilómetros de Tripoli), o sub-comité das contribuições sublinha o fraco nível das contribuições em relação ao montante que deve ser pago.
Para o ano em curso, os Estados membros concederam apenas três milhões 937 mil dólares num total de 89 milhões 867 mil dólares americanos, o que representa apenas 5 por cento do montante total das contribuições devidas pelos Estados membros e restam portanto cerca de 86 milhões de dólares americanos a recuperar pelo sub-comité.
Sobre a situação financeira geral da União Africana, o sub-comité das contribuições da organização anunciou a sua "preocupação" face às dificuldades para recolher as contribuições, isto é as em atrasos e as em curso.
Já em 2008, as contribuições em atraso elevavam-se a 41 milhões de dólares americanos mas a este montante, é preciso acrescentar actualmente cerca de 86 milhões de dólares americanos devidos pelos Estados membros a título do exercício de 2009.
Assim sendo, 22 países dos 53 membros da União Africana acusam um atraso de um ano e mais, ao passo que 25 outros Estados ainda não pagaram as suas contribuições para o exercício orçamental em curso.
O relatório nota que cinco países pagaram integralmente as suas contribuições o título do exercício em curso designadamente o Ruanda, o Lesoto, a Namíbia, a Swazilândia e a República Democrática do Congo (RDC), ao passo que Angola e o Congo deram antecipadamente as suas contribuições para o orçamento de 2010.
Sobre as sanções, a situação não evoluiu porque os países sancionados desde o ano passado, designadamente Cabo Verde, Eritreia, São Tomé e Príncipe e ilhas Seicheles, não melhoraram a sua situação.
A estes países, juntam-se as ilhas Comores e a Somália que totalizam mais de dois anos de contribuições em atraso.
Por outro lado, dos cinco países designados como sendo os grandes contribuidores da União Africana, três ainda não respeitaram os seus compromissos para com a organização panafricana.
A Nigéria deve mais de 30 milhões de dólares americanos à organização para os exercícios de 2008 e 2009, ao passo que a África do Sul totaliza um atraso de 11 milhões 500 mil dólares americanos, assim como a Líbia está igualmente inscrita nesta lista para pagamentos em atraso que se estimam em 14 milhões de dólares americanos.
O orçamento de 2009 da organização panafricana foi estabelecido em Janeiro último em Addis Abeba, na Etiópia, em 164 milhões 200 mil dólares americanos.

26 Junho 2009 18:07:00




xhtml CSS