Contra-cimeira da Francofonia na França

Paris- França (PANA) -- Duas organizações não governamentais (ONG) anunciaram sexta-feira, em Paris, a sua intenção de organizar sábado, em Grenoble, no leste da França, uma contra-cimeira da Francofonia.
Num comunicado a que a PANA teve acesso, a organização “Sobrevivência” e o Comité Francês Nobert Zongo (COFANZO, do nome do jornalista burkinabe assassinado em 1998) afirmam querer aproveitar a contra-cimeira para reflectir sobre o funcionamento da Francofonia.
A manifestação, apresentada como uma réplica à cimeira oficial de 26 e 27 de Novembro em Ouagadougou, no Burkina Faso, será marcada por três conferências das quais uma consagrada à "sobrevivência dos laços coloniais".
O COFANZO e a Sobrevivência apelam igualmente os participantes na contra-cimeira para reflectirem sobre os mecanismos que impedem o desenvolvimento dos países "dominados" e “as resistências que vão surgindo aqui e acolá".
Outras manifestações foram, além disso, organizadas nas cidades francesas de Bègles, Bayonne, Bressuire e Paris sob os lemas "Francofonia e direitos humanos" e "Francofonia, vitrina da Françáfrica".
Antecipando-se às críticas da sociedade civil, o chefe de Estado burkinabe, Blaise Campaoré, anfitrião da cimeira, defendeu quarta-feira "uma francofonia mais solidária".
Numa tribuna livre publicada no diário francês "Le Monde", o Presidente Campaoré estimou que a organização francófona não teria hoje justificação se não oforecesse aos países do sul a ocasião de trocas que favorecessem o seu desenvolvimento.
Desejou que a X cimeira de Ouagadougou terminasse sábado com a definição de um programa preciso de partilha das riquezas entre os países ricos e pobres da Francofonia.

26 Novembro 2004 10:26:00




xhtml CSS