Construção de Centro de Cuidados Paliativos para doentes em fase terminal em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) – O primeiro Centro de Cuidados Paliativos de Cabo Verde, para acolhimento e tratamento de doentes na fase terminal, vai ser construído na cidade de São Filipe, na ilha do Fogo, apurou a PANA quarta-feira de fonte segura.

Trata-se duma quarta unidade de saúde do género no continente africano, um projeto pilotado pela Associação de Solidariedade e Desenvolvimento (ASDE), elaborado em parceria com a Fundação F.A.R.O., uma organização sem fins lucrativos de Turim (Itália) que, há mais de 30 anos, vem prestando cuidados paliativos de “qualidade” aos doentes e às suas famílias, diminuindo assim o sofrimento físico e existencial daqueles que já só esperam pela morte.

Conforme refere uma nota de imprensa da ASDE, o cuidado paliativo é um recurso dos doentes e dos seus entes queridos quando se lhes afirma que “não há mais nada a fazer”.

Indicou que, na realidade, nesta fase, há muito a “fazer” porque muitas são as necessidades do paciente e da sua família.

A mesma fonte recorda que este é um tema “muito importante” para a Igreja Católica, tendo o Vaticano realizado, nos dias 27 e 28 de fevereiro último, um encontro internacional sobre a cura paliativa.

A ASDE indica ainda que a cultura dos cuidados paliativos no continente africano está, ainda, muito pouco disseminada e que apenas alguns países, como Uganda, África do Sul e Quénia, dispõem deste tipo de estruturas.

Acrescentou igualmente que os serviços de assistência domiciliária também são raros para estes tipos de casos.

O primeiro Centro de Cuidados Paliativos  em Cabo Verde, dedicado ao Padre Capuchinho italiano, Ettore Molinaro, é uma iniciativa do Padre Ottavio Fasano, fundador da ASDE, com o propósito de amenizar o sofrimento humano, baseada na ideia de que qualquer vida humana merece uma morte digna.

A construção do centro, que vai ser batizado “Nossa Senhora da Encarnação”, deverá estar concluído dentro de um ano, ou seja em março de 2019, e servirá aos pacientes das ilhas do Fogo e da Brava.

A infraestrutura disporá de uma equipa multidisciplinar de especialistas em cuidados paliativos, que incluirá médicos, enfermeiras, psicólogos, fisioterapeutas e assistentes sociais e espirituais.

O projeto arquitetónico, da autoria do arquiteto italiano, Rocco Montagnese, ocupará uma área de 465 metros quadrados, completamente construída.

O mesmo consistirá em cinco quartos, sete casas de banho, uma farmácia, uma enfermaria, uma casa de banho para visitantes, uma secretaria, uma casa de banho para enfermeiros, uma cozinha, duas lavandarias, um corredor e um terraço.

A cerimónia de lançamento da primeira pedra, a realizar-se esta quarta-feira, 13 de março, é presidida pelo Cardeal Dom Arlindo Furtado na presença do ministro cabo-verdiana da Saúde, Arlindo do Rosário, e dos presidentes das Câmaras Municipais do Fogo.

-0- PANA CS/DD 13mar2018

13 Março 2018 11:53:25


xhtml CSS