Conselho de Segurança da ONU insiste na importância da mulher

Nova Iorque- Estados Unidos (PANA) -- O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou por unanimidade uma declaração oficial que sublinha o papel essencial das mulheres na prevenção e na resolução de conflitos e a sua importância na construção da paz.
Num comunicado transmitido quinta-feira a jornalistas acreditados em Nova Iorque, os 15 membros do Conselho insistiram na "importância da participação igual e da implicação total das mulheres em todos os esforços visando manter e promover a paz e a segurança".
O comunicado lido pelo presidente do Conselho para o mês de Março, o embaixador Dumisani Kumalo da África do Sul, defendeu "a necessidade de reforçar o papel das mulheres na tomada de decisões relativas à prevenção e à resolução de conflitos".
Ele instou os Estados membros e o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-Moon, a intensificarem os esforços de responsabilização das mulheres e a aumentarem a sua representação no quadro da tomada de decisões.
Neste sentido, convidou igualmente os Estados membros a reforçar a representação das mulheres "a todos os níveis da tomada de decisões nas instituições nacionais, regionais e internacionais e os mecanismos relativos à paz e à segurança".
O Conselho felicitou igualmente Ban pela sua política de nomear mais mulheres para postos de responsabilidade bem como pelo aumento da participação das mulheres nas operações da ONU no terreno como observadoras, membros da Polícia Civil, e do pessoal das agências dos direitos humanos e humanitárias.
Sobre a decisiva Resolução 1325 adoptada em 2000 para reforçar o papel das mulheres na prevenção de conflitos, na manutenção da paz e nas operações de construção da paz, o presidente do Conselho instou os Estados membros para, em colaboração com a sociedade civil, "favorecer a sua aplicação".
O Conselho acrescentou estar "profundamente preocupado com a omnipresença da violência contra as mulheres e nos conflitos armados" e condenou as práticas tais como "o crime, a mutilação bem como os abusos e a exploração sexual".
Reiterou igualmente a "necessidade de aplicar totalmente a legislação internacional em matéria dos direitos humanos e humanitários que protejam as mulheres e as raparigas durante e após os conflitos".
A reunião do Conselho, organizada para marcar o Dia Internacional da Mulher, coincidiu com vários outros eventos sobre a mulher na sede da ONU.
A presidente da Assembleia-Geral da ONU, Haya Al-Khalifa, convocou quarta-feira um debate informal de dois dias sobre a responsabilização das mulheres, ao passo que a Comissão da ONU sobre as mulheres realiza actualmente a sua sessão anual sob o lema: "Eliminar todas as Formas de Discriminação e Violência contra a Mulher".

09 Março 2007 15:05:00


xhtml CSS