Conselho de Segurança da ONU declara apoio a Presidente da RCA

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA) - O Conselho de Segurança das Nações Unidas exprimiu o seu apoio aos esforços do Presidente Faustin Archange Touadera, da República Centroafricana (RCA), pelo restabelecimento da autoridade do Estado e pela mediação liderada pela União Africana (UA) para encontrar uma solução política à situação neste país em crise.

Num comunicado do seu presidente, o Conselho de 15 membros renovou o seu apoio ao Presidente centroafricano, congratulando-se pelo seu "papel determinante" na estabilização do país, na promoção da paz e reconciliação e na progressão dos projetos de desarmamento.

O Conselho considerou que o papel de Touadera foi também determinante na criação de bases para o desenvolvimento sustentável e no reforço das capacidades das instituições públicas na prestação de serviços básicos, com o apoio de parceiros e internacionais.

Saudou igualmente a iniciativa africana para um acordo de paz e de reconciliação entre o Governo e todos os grupos armados da RCA que visa uma governação inclusiva, fazendo a promoção duma paz duradoura, segundo um comunicado da ONU.

Relativamente à segurança, o Conselho declarou-se preocupado pelos atuais confrontos entre os grupos armados, em particular, perto de Bambari, na prefeitura de Ouaka, e mais recentemente em Bakouma, na prefeitura de Mbomou, que causaram pesadas perdas entre os civis e deslocações da população.

O Conselho condenou firmemente os atos de violência perpetrados pelos grupos armados e as suas tentativas de tomar à força o controlo do território e dos seus recursos e exortou todos os grupos armados em particular o FPRC e a UPC, a pôr termo imediatamente a todas as formas de violência e a honrar os  compromissos no quadro do processo de desarmamento, de desmobilização, de reinserção e de repatriamento.

O comunicado indica que o Conselho renovou igualmente o seu apoio ao representante Especial do Secretário-Geral, Parfait Onanga-Anyanga, e à Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas na República Centroafricana (MINUSCA) na realização do seu mandato.

A política de "Tolerância Zero" das Nações Unidas sobre a exploração e os abusos sexuais, o Conselho convidou todas as forças não onusinas autorizadas a tomar medidas adequadas para lutar contra a impunidade do seu pessoal no caso de exploração e de abusos sexual.

-0- PANA MA/FJG/IS/IBA/MAR/IZ 06abril2017

06 Abril 2017 09:43:07




xhtml CSS