Congo constata diminuição de produção em campo petrolífero explorado com Angola

Brazzaville, Congo (PANA) – O ministro congolês dos Hidrocarbonetos, Jean-Marc Thystère Tchicaya, declarou este fim de semana, em Brazzaville, que a produção do campo petrolífero de Lianzi, explorado conjuntamente pelo Congo e por Angola, "não respondeu às expetativas".

Segundo ele, a produção esperada em 2015 era de quase 32 mil barris por dia, "mas o declínio não permitiu a este campo responder às expetativas, fazendo com que apenas 20 mil barris tenham saído deste jazigo".

Thystère Tchicaya falava durante a 30ª reunião do Comité de Unificação do Órgão Interestatal do campo de Lianzi, que agrupa peritos congoleses e angolanos.

De acordo ainda com o governante congolês, "a queda vertiginosa" do campo de Lianzi continuou em 2017, com uma produção de 16 mil barris por dia.

"A produção atualmente do campo de Lianzi está na ordem dos 14 mil barris por dia com obras extremamente significativas com vista a redinamizar este poço para aumentar a produção diária em 16 mil barris", indicou.

Para Thystère Tchicaya, o desejo dos dois Estados é rever as conquistas da zona de interesse comum, uma experiência inovadora na zona África, relativa à exploração do jazigo de petróleo.

Do seu lado, o ministro angolano dos Recursos Naturais e Petróleos, Diamantino Pedro Azevedo, indicou que foram feitos "progressos consideráveis neste projeto de grande interesse para os dois Estados".

O orçamento de funcionamento de 2017 do Órgão Interestatal foi aprovado e o deste ano revisto, declarou o governante angolano, sem no entanto precisar os montantes em causa.

-0- PANA MB/JSG/SOC/FK/IZ 5agosto2018

05 أغسطس 2018 13:37:36


xhtml CSS