Conferência em homenagem a Léopold Senghor realiza-se em Paris

Paris- Senegal (PANA) -- Uma conferência sobre a obra do poeta e ex-Presidente do Senegal, Léopold Sédar Senghor, será organizada a 11 de Dezembro próximo em Paris (França) pela Associação Alternativa Senegalesa (ASI), soube sábado a PANA junto dos organizadores.
A decorrer sob o lema "Os Legados de Senghor, Sonho ou Realidade", o evento é tido pelos organizadores como um prelúdio às ceremónias do centenário no nascimento do proeminente escritor que serão organizadas em 2006 pelo Senegal e a França.
"O objectivo desta conferência é de mostrar as diversas influências que o homem e a sua obra trouxeram à nossa vida, ao seu país, o Senegal, à União Africana (UA) ao longo da sua existência, as suas pertenças políticas, poéticas e panafricanistas", indica um comunicado da ASI entregue à PANA.
O encontro será animado por várias personalidades do mundo literário, incluindo Babacar Sall, sociólogo e director de publicação da editora "L'Harmattan", Roland Colin, antropólogo, presidente do Instituto de Pesquisa e de Formação para a Educação e o Desenvolvimento (IRFED) e conselheiro do primeiro governo do Senegal independente.
A conferência contará igualmente com a participação de Tom Amadou Seck, jurista e professor da Faculdade de Direito da Universidade Robert Schuman de Estrasburgo, que vai apresentar o tema "Senghor e a Construção do Estado-Nação no Senegal", e de Max Yves Brandily, etnólogo e escritor, que abordará o "Erotismo e o Papel das Mulheres na Obra Poética de Senghor".
A ASI, composta por senegaleses e simpatizantes do Senegal e formações políticas e sociais reunidos pela mesma vontade de ajudar o Senegal a progredir no interesse geral, apresenta-se como um quadro de reflexão para iniciativas de progresso destinadas aos países africanos.
Nascido a 9 de Outubro de 1906 em Joal, pequena cidade costeira do Senegal e falecido em 2001 na França, Senghor, primeiro africano agregado duma universidade, criou nos anos 30 em Paris, com Léon Damas e Aimé Césaire, os fundamentos da negritude antes de se tornar em 1960 no primeiro presidente do Senegal até 1980.
Doutor "honoris causa" de várias universidades, membro do Instituto de França, antigo membro da Academia Francesa, Léopold Sédar Senghor marcou, por uma obra muito rica e próspera, a literatura francesa e africana, a história e as artes, a criação contemporânea, a descoberta e a mestiçagem das identidades culturais.

27 Novembro 2004 12:18:00


xhtml CSS