Conferência da diplomacia da RDCongo em Kinshasa

Kinshasa- RD Congo(PANA) -- A conferência diplomática congolesa, aberta segunda-feira pelo presidente Joseph Kabila, com duração prevista até 7 de Dezembro em Kinshasa, é uma oportunidade para muitos diplomatas estrangeiros darem os seus contributos à diplomacia da República Democrática do Congo.
Na ocasião, o embaixador da Côte d'Ivoire em Kinshasa, Ahipeaud Guillaume, disse que a diplomacia do seu país dever-se-ia inspirar na da RDC, que conseguiu convencer a opinião internacional sobre a agressão de que foi alvo por parte dos seus vizinhos, o Rwanda e Uganda.
"Este acto e estes esforços da diplomacia congolesa são uma experiência perfeita na qual a Côte d'Ivoire se deve inspirar, porque também vive actualmente a mesma situação de guerra de agressão", salientou o diplomata ivoirense.
Por sua vez, o embaixador tunisino na RD Congo, Aziz Ennifar, propós para que diplomacia congolesa se dote, para além dos meios financeiros e materiais, de meios de informação precisos e eficazes que permitam aos diplomatas estarem informados sobre todas as situações políticas,sociais e culturais nos seus países, para poderam "promover a política estrangeira".
A diplomacia é órgão de promoção da Nação, é a melhor maneira de se proteger e, para tal, a RD Congo deve abrir-se ao mundo exterior para promover os investimentos", disse o diplomata tunisino.
O ministro congolês dos Direitos humanos,Ntumba Luaba, defendeu a necessidade da diplomacia congolesa adquirir competências e meios materiais e financeiros necessários à implementação das estratégias susceptíveis de promover os interesses do país.
Esta conferência sobre a diplomacia congolesa, recorde-se, retoma após uma década de interrupção, sob o tema "Apoio institucional e reforço das capacidades do ministério dos Negócios estrangeiros".
Foi marcada por várias intervenções de personalidades congolesas e estrangeiras sobre o relançamento de uma diplomacia condigna para a RD Congo e sobre os mecanismos a criar para a instauração de uma paz duradoura na África central e na sub-região dos Grandes Lagos.

04 Dezembro 2002 11:06:00


xhtml CSS