Conferência Ministerial da Francofonia debate crises em África

Vientiane- Laos (PANA) -- As crises na República Democrática do Congo (RDC), na República Centro Africana (RCA), nas ilhas Comores e em outros países africanos serão discutidas durante a 23ª Conferência Ministerial da Francofonia (CMF), que se inicia terça-feira em Vientiane (Laos), declarou o conselheiro especial do secretário-geral da Francofonia, Ousmane Paye.
"É de tradição que a CMF aborde na sua vertente política as situações de crise nos Estados membros da família francófona.
Em Vientiane, não faltaremos de evocar as crises na Guiné Conakry, na Côte d'Ivoire e em tantos outros países africanos", declarou.
Falando durante uma conferência de imprensa, o conselheiro de Abdou Diouf recordou o engajamento da Organização Internacional da Francofonia (OIF) com os Estados africanos em transição democrática.
"Acompanhamos as saídas de crise na República Centro Africana, na Mauritânia e na Côte d'Ivoire.
Para nós, esta vertente política é um elemento importante da CMF", disse o antigo ministro senegalês da Juventude e Desportos.
"A conferência vai evocar três temas principais: a vertente política e económica; as questões de cooperação e o funcionamente e o financiamento da organização", garantiu.
"Temos por vocação ajudar os países membros da nossa organização em dificuldades", insistiu o conselheiro de Diouf, sublinhando que a 23ª CMF escolheu por tema "O Francês: Instrumento de Solidariedade e de Promoção da Diversidade Cultural e Linguística".
"Os ministros e chefes de delegação vão igualmente discutir da preparação da 12ª Cimeira da Francofonia prevista para Outubro próximo em Quebeque (Canadá)", disse Paye.
Cerca de 200 delegados em representação dos 55 Estados e Governos e dos 13 países observadores da OIF participam terça e quarta-feiras na 23ª CMF, em Laos, país encravado do sudeste asiático.

20 Novembro 2007 12:44:00




xhtml CSS