Companhia cabo-verdiana de dança actua em 17 países africanos

Praia- Cabo Verde (PANA) -- A companhia cabo-verdiana da dança "Raiz di Polon" partiu no fim-de-semana a Djibuti, onde vai iniciar uma digressão de dois meses que a levará a 17 países africanos, soube a PANA na Praia de fonte segura.
A digressão, destinada a apresentar um espectáculo denominado "Duas sem Três", vai prosseguir na Etiópia, no Uganda, em Moçambique, na Zâmbia, no Malawi, no Zimbabwe, na Namíbia e na Swazilândia.
O grupo vai actuar também na África do Sul, nas ilhas Maurícias, no Madagáscar, nas Comores, no Ruanda, no Burundi, na Eritréia e no Quénia.
Esta digressão foi organizada em parceria com o Ministério francês das Relações Exteriores através do Centro Cultural Albert Camus de Antananarivo (Madagáscar) e da Associação Francesa de Acção Artística (AFAA), entidade responsável pelos Encontros Coreográficos da África e do Oceano Índico.
O espectáculo Duas sem Três é baseado num texto do escritor cabo- verdiano Mário Lúcio Sousa, também autor da música, e é coreografado pelas bailarinas Rosy Timas e Elisabete Fernandes.
A obra já foi apresentada em vários países europeus e africanos, bem como nos Estados Unidos e no Brasil.
Em Novembro de 2003, a peça foi galardoada com o Prémio Especial do Júri nos terceiros Encontros Coreográficos da África e do Oceano Índico realizados em Antananarivo (Madagáscar).
A companhia de dança Raiz di Polón foi fundada em 1991 na Praia.

07 Fevereiro 2005 07:53:00


xhtml CSS