Comité do Conselho Nacional da Namíbia critica condições prisionais no país

Windhoek- Namíbia (PANA) -- As cadeias namibianas e postos de polícia dotados de celas estão em condições "inumanas" com crianças exploradas como "escravos de sexo", indica um novo relatório dum comité criado pelo Conselho Nacional.
As cadeias e as celas de todo o país estão "superlotadas, húmidas e sujas" e isso poderá constituir uma violação flagrante dos direitos humanos, lê-se no mesmo documento.
Em algumas regiões, prosseguiu o relatório, os detidos estão subalimentados e carecem de higiene.
A Namíbia, com um crescimento económico moderado de uma média anual de 4 por cento e uma pequena população de dois milhões de habitantes, luta desde há vários anos contra uma taxa de criminalidade crescente, a que se junta uma taxa de desemprego com tendência crescente de aproximadamente 37 por cento, indica-se.
Segundo o relatório, o congestionamento da população carceral deve-se à falta aguda de juízes, assim como à corrupção no seio da polícia por causa dos salários baixos.
Em Tsumkwe, na parte central do país, indica a mesna fonte, crianças de 12 anos de idade estão a ser exploradas como "escravos de sexo".
"Por causa da falta de celas suficientes, os jovens estão mantidos nas mesmas gaiolas que os adultos, o que os leva a apoiar criminosos adultos", indignou- se Hafeni Ndemula, o autor do relatório.

21 Fevereiro 2007 20:54:00


xhtml CSS