Cólera mata 150 pessoas no centro-sul da RDC

Kinshasa, RD Congo (PANA) - Pelo menos 150 pessoas morreram em cerca de dois mil e 600 casos de cólera registados desde fevereiro de 2018, em Mbuji-Mayi, capital da província do Kasai Oriental, no centro-sul da República Democrática do Congo (RDC), anunciou o ministro provincial da Saúde, Hyppolite Mutombo Mbwebwe.

Num comunicado transmitido à PANA, domingo, o ministro Mutombo Mbwebwe indicou que as 19 regiões sanitárias da província estão afetadas pela epidemia de cólera e cada vez mais novos casos são registados nas áreas mineiras de exploração de diamantes.

Por isso, pediu o apoio dos diferentes parceiros do setor para ajudar a travar a propagação da epidemia naquela parte da RDC, apelando também às autoridades locais para informar o público das boas práticas de higiene a observar a fim de estancar a doença.

O governante convidou também os responsáveis da empresa de distribuição de água (Rigideso) a fornecer regularmente água potável à população para evitar que ela se abasteça a partir de rios poluídos situados em território da cidade de Mbuji-May.

Esta cidade conhece há anos problemas graves de acesso à água, especialmente para as pessoas que vivem nos bairros mais carentes, o que continua a ser a principal causa do ressurgimento da doença.

A cólera é uma doença diarreica epidémica, estritamente humano, causada por uma bactéria da espécie Vibrio cholerae. A doença é causada pela absorção de água ou alimentos contaminados pela boca.

A incubação é seguida de uma diarreia violenta e vómitos, sem febre. Na ausência de tratamento, a morte ocorre dentro de um a três dias, por colapso cardiovascular em 25 a 50 porcento dos casos. A mortalidade é maior entre crianças, idosos e indivíduos vulneráveis.

-0- PANA KON/JSG/IZ 20agosto2018

20 août 2018 16:54:24


xhtml CSS