Chuvas provocam estragos de mais de 1,8 milhão de euros em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) – Precisa-se de cerca 200 milhões de escudos (mais de um milhão e 800 mil euros) para se reparar os avultados estragos causados por fortes chuvas que caíram na madrugada de quarta-feira última no interior da ilha de Santiago.

Esta declaração foi feita quinta-feira pela ministra cabo-verdiana das Infraestruturas e Economia Maritima, Sara Lopes, que faz parte de uma delegação governamental que se deslocou aos locais mais afetados no interior de Santiago para fazer uma primeira avaliação dos danos.

A ministra assegurou que o Governo vai acionar o fundo de emergência do Banco Mundia (BM), precisamente um milhão de euros, que, a seu ver, é no entanto insuficiente para reparar os estragos ainda não estão totalmente contabilizados.

As fortes chuvas que caíram na madrugada de quarta-feira última sobre Cabo Verde,  com maior intensidade na ilha de Santiago, provocaram desabamentos de rochas e corte de estradas isolando populações por várias horas.

Segundo o presidente do Serviço Nacional de Proteção Civil (SNPC) cabo-verdiano, Arlindo Lima, a situação é mais "catastrófica" em Serra Malagueta, onde uma rocha desabou e cortou o trânsito naquela zona fronteiriça entre Tarrafal, São Miguel e Santa Catarina e que tem um parque natural com o mesmo nome.

O presidente do SNPC informou que as obras de desobstrução da via não deverão acontecer agora porque, frisou, ainda há riscos de desabamento de mais rochas.

Arlindo Lima disse haver algumas casas e currais inundados, danos em plantações ribeirinhas, mas que até agora não há vítimas.

O responsável informou que as autoridades, designadamente as câmaras municipais e o Instituto de Estradas, estão a acompanhar a situação para a normalizar "o mais rápido possível", bem como a circulação de pessoas e bens entre o interior de Santiago e a cidade da Praia, a capital cabo-verdiana.

O interior da ilha de Santiago é composto pelos municípios de São Domingos, São Lourenço dos Órgãos, São Salvador do Mundo, Santa Catarina, Santa Cruz, Calheta de São Miguel e Tarrafal, que juntos totalizam cerca de 150 mil habitantes.

A intempérie que voltou a afetar esta semana a parte sul do arquipélago cabo-verdiano, acontece depois da passagem, pelo país, do furacão Fred que provocou estragos avultados, sobretudo nas ilhas do norte, nomeadamente Sal Boa Vista, São Nicolau e parte de Santo Antão.

-0- PANA CS/DD 11set2015  


11 Setembro 2015 11:02:10


xhtml CSS