Chirac advoga acesso dos Africanos infectados com SIDA

a cuidados médicos Paris- França (PANA) -- O presidente francês,Jacques Chirac, comprometeu-se, segunda-feira em Paris, a inscrever o problema do acesso à triterapia dos doentes africanos infectados com a SIDA na agenda da próxima cimeira dos sete países mais industrializados G-7), prevista para Junho de 2003 em Evian (França).
Intervindo aquando de uma visita na sede da Organização não governamental (ONG) Aides, o presidente Chirac achou "anormal que os doentes africanos não possam ter sempre acesso aos cuidados de que o seu estado necessita.
Esta tomada de posição do chefe de Estado francês surge num momento em que vozes se erguem entre as ONG francesas exigindo uma grande contribuição da França ao Fundo mundial para saúde (FMS).
"Achamos que a contribuição francesa para o FMS, estimado actualmente em 50 milhões de Euros, não corresponde à posição da Françã no mundo e que deve ser incrementada rapidamente", estima- se no Act Up-Paris, onde se diz ser preferível esperar para se julgar o que vier a sair da cimeira do G-7 de Evian.
Apenas cerca de 50.
000 doentes da SIDA têm acesso à triterapia em África, segundo a Organização das Nações Unidas para Luta contra a SIDA (ONUSIDA) que calcula em mais de 29 milhões o número de seropositivos no continente.

03 Dezembro 2002 19:08:00


xhtml CSS