Chefias militares da CEDEAO preparam possível intervenção na Côte d'Ivoire

Lagos, Nigéria (PANA) – Numa provável preparação dum eventual uso da força contra o Presidente  ivoiriense cessante, Laurent Gbagbo, caso ele se recuse a abandonar o poder como exigido pelos líderes oeste-africanos, os chefes militares da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) realizam uma reunião extraordinária terça-feira em Abuja, capital federal da Nigéria, soube a PANA de fonte oficial.

A reunião visa planificar a logística dum possível uso da força militar para obrigar Gbagbo a demitir-se caso ele decida manter-se no poder, apesar da pressão da comunidade internacional, que reconheceu a vitória do opositor Alassane Ouattara nas eleições presidenciais de 28 de Novembro último.

« Esta não é uma das reuniões trimestrais (do Comité dos Chefes dos Estados-Maiores das Forças Armadas da CEDEAO). Trata-se duma reunião extraordinária dedicada especialmente à situação na Côte d'Ivoire », disse uma fonte do Comité segunda-feira à PANA em Lagos.

O presidente do Comité e chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Nigéria, o marechal da Força Aérea Oluseyi Petinrin, participou sexta-feira passada na cimeira extraordinária dos líderes da CEDEAO, aparentemente para informar os chefes de Estados da sub-região sobre as opções disponíveis caso eles decidam recorrer à força para depor Gbagbo.

A reunião extraordinária dos chefes militares coincidirá com a visita dos Presidentes de Cabo Verde, Pedro Pires, do Benin, Thomas Yayi Boni, e da Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, que transmitirão a mensagem da CEDEAO a Gbagbo.

Apesar do apoio massivo e do reconhecimento pela comunidade internacional da vitória de Ouattara, declarada pela Comissão Eleitoral Independente (CEI), Gbagbo obstina-se em agarrar-se ao poder, alegando que ele ganhou a segunda volta das eleições presidenciais tal como anunciado pelo Conselho Constitucional.

A crise já causou pelo menos 173 mortos depois de confrontos entre as forças de segurança leais a Gbagbo e apoiantes de Ouattara, segundo a ONU, que informou que milhares de ivoirienses estão a fugir para os países vizinhos.

-0- PANA SEG/TON 27Dez2010

27 Dezembro 2010 09:29:48




xhtml CSS