Chefe do Hezbollah libanês alvo de jornais líbios

Tripoli- Líbia (PANA) -- Os diversos jornais líbios foram unânimes, nesta quinta-feira, em condenar as recentes declarações anti-líbias do secretário-geral do partido hezbollah libanês, Hassan Nasrallah.
O Órgão dos comités revolucionários líbios, Al-Zahf Al-Akhdar, titulou no seu editorial de quinta-feira "A tragédia da mentira e da hipocrisia", e escreve que Hassan Nasrallah explorou o secretariado de Hazbolla, a resistência e o Islão para dividir o mundo árabe e islámico.
O jornal líbio acusou igualmente Hassan Nasrallah de estar ao serviço de outras partes de quem executa as ordens, acrescentando que é um dos beneficiários da morte do dignitário xiita, o Imam Moussa Sadr.
Hassan Nasrallah, recorde-se, reiterou nas suas declarações retomadas terça-feira pelos canais satélites árabes as acusações responsabilizando a Líbia pela morte do Imam Moussa Sadr em 1978.
Por seu turno, o diário tripolitano Al-Jamahirya qualificou Hassan Nasrallah de "gritador público" que, à semelhante de um papagaio, repete o que lhe dizem.
Al-Jamahirya acrescenta que a Líbia não tem nada a ver com ele nem com o seu partido, o Hezbollah, pois é capaz de dialogar com aqueles que lhe dão ordens.
O mesmo jornal acrescenta que o Imam Moussa Sadr é de nacionalidade iraniana e que a Líbia trata do seu caso com Teerão.
O jornal Al-Chams interroga-se sobre a verdadeira identidade do secretário-geral do Hezbollah libanês.
"Se sua a identidade for a imagem dos seus discursos, isso deve preocupar as forças nacionais libanesas, visto que o nacionalismo implica a pertença à pátria e não a outra coisa", escreve o editorialista do Jornal.

05 Setembro 2003 22:28:00


xhtml CSS