Centro sul-africano ganha Prémio da UNESCO de Educação para Paz

Paris- França (PANA) -- A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) atribuiu o Prémio de Educação para Paz deste ano ao Instituto para a Justiça e Reconciliação da África do Sul, indica um comunicado da agência onusina transmitida quarta-feira à PANA.
Um júri internacional presidido por Mohammed Arkoun, professor de História do Pensamento Islâmico, reunido a 19 de Maio, escolheu o instituto sul-africano "pelos seus esforços notáveis a favor duma reconciliação duradoura através da educação e contra a injustiça sistémica em África", precisou o comunicado.
O Instituto para a Justiça e Reconciliação foi criado em 2000 para incentivar a reconciliação na África do Sul depois do fim do apartheid e promover a paz a partir duma análise socio-política.
municiosa.
Desde então, o instituto, cuja sede está situada na Cidade do Cabo, ajudou outros países africanos, incluindo o Ruanda, o Sudão e o Burundi, a empreender uma abordagem análoga.
O instituto colabora com os Governos, as associações e os intelectuais de países em transição para reforçar a justiça, o desenvolvimento e a segurança humana, graças a um trabalho de pesquisa e de análise e ao reforço das capacidades.
Ele publicou um relatório anual, "Auditoria de Transformação", que avalia os desenvolvimentos sociais, económicos e educativos necessários para uma paz duradoura.
Um outro dos seus grandes projectos motivou a publicação do primeiro manual de história da África do Sul, destinado ao ensino secundário desde o fim do apartheid.
Esta obra recorre à tradição oral para criar um "diálogo entre pontos de vista" e apresenta histórias pessoais recolhidas localmente por trabalhadores sociais qualificados.
O prémio será entregue ao laureado a 18 de Setembro de 2008 na sede da UNESCO em Paris, no quadro da celebração do Dia Internacional da Paz.
Criado em 1981 graças ao financiamento da Nippon Foundation, o Prémio da UNESCO de Educação para a Paz, estimado em 40 mil dólares americanos, recompensa as iniciativas que visam sensibilizar o público sobre a importância da paz.
Em 2006, ele foi atribuído ao juiz da Sri Lanka Christopher Gregory Weeramantry, enquanto os precedentes laureados do prémios são, entre outros, o bispo Nelson Onono-Onweng (Uganda), a Associação das Mães da Praça de Maio (Argentina), Prayudh Payutto (Tailândia) e a Madre Teresa (Índia).

29 Maio 2008 12:24:00


xhtml CSS