Centro socializa plano estratégico para energias renováveis em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) - O Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) de Cabo Verde promoveu, esta quinta-feira, na cidade da Praia, a “socialização pública” do seu Plano Estratégico para o período 2015-2020, visando promover o conhecimento e competências neste domínio, apurou a PANA de fonte da instituição.

O CERMI foi inaugurado a 10 de março de 2015, pelo Grão-Duque do Luxemburgo e pelo Presidente de Cabo Verde orçado em 850 milhões de escudos cabo-verdianos (7,7 milhões de euros) e financiado pela cooperação luxemburguesa.

Está vocacionado para a promoção de cursos que estimulem o uso de energias bioclimáticas e também um centro de formação para a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Em nota de imprensa, o CERMI explica que a instituição tem como objetivo, também, promover a difusão do conhecimento e o desenvolvimento de competências para o exercício de atividades profissionais de excelência no domínio das energias renováveis e manutenção industrial.

“Considerado um grande investimento, neste momento, graças à cooperação entre Cabo Verde e Luxemburgo, o CERMI deve ser uma organização de alto nível de desempenho futuro, ajudando assim Cabo Verde, os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e a CEDEAO a produzirem os resultados desejados no setor energético, rumo a um bem maior que é a satisfação humana”, refere a nota.

Depois da sua inauguração, o CERMI iniciou imediatamente as suas atividades, sendo que, a par de três ações de formação de formadores e especialistas em energia, já concluídas, tem consagrado “um enorme esforço na consolidação da sua visão de futuro neste setor”.

Neste sentido, irá formar profissionais nos domínios de conceção, montagem e manutenção de instalações fotovoltaicas, da instalação de minieólicas e de sistemas fotovoltaicos (painéis solares) e térmicos, montagem e manutenção de frio e eletromecânica.

A construção do centro insere-se na política energética governamental, que passa pela utilização cada vez maior das energias renováveis em detrimento dos combustíveis fósseis, para que, em 2020, o abastecimento de Cabo Verde atinja os 100 porcento, enquanto, atualmente, os dados oficiais apontam para uma taxa de penetração entre os 25 e os 30 porcento.

-0- PANA CS/IZ 23julho2015

23 Julho 2015 23:11:25


xhtml CSS