Centro burkinabe de educação de mulheres transferido para UA

Ouagadougou- Burkina Faso (PANA) -- O Centro Internacional para a Educação das Raparigas e Mulheres em África (CIEFFA), criado pelo Governo burkinabe em 1995, foi oficialmente acolhido quinta-feira pela Comissão da União Africana como instituição da organização panafricana.
De acordo com a coordenadora do CIEFFA, Elisabeth Ouédraogo, a diversificação das actividades do centro no continente vai intensificar-se com o estatuto de instituição especializada da UA adquirido pela execução e a aplicação do plano de acção da década da educação para África para o período 2006-2015.
O centro tem como missão principal "promover a educação das raparigas e mulheres com vista a sua plena participação na eliminação da pobreza, no advento dum mundo de paz e para um desenvolvimento humano duradouro", frisou.
Constitui ainda um centro pluridisciplinar, um local de encontro para todos os intervenientes sobre a questão da educação das raparigas e um centro de excelência para o reforço das capacidades das mulheres com vista à sua responsabilização na luta contra a pobreza.
A esposa do Presidente do Burkina Faso Chantal Compaoré, que presidiu esta cerimónia de transferência da CIEFFA para a UA, apelou as autoridades políticas e os parceiros para o desenvolvimento para melhorar a educação e as competências das mulheres em África, deplorando o facto de só uma em cinco raparigas terminar os seus estudos no Burkina Faso.
"Esta taxa ainda fraca de escolarização das raparigas em África tem por consequência limitar o número de mulheres nas altas esferas de decisão", acrescentou.
A comissária da UA para os Recursos Humanos, Ciência e Tecnologia Nagia Essayed, que recebeu as instalações do CIEFFA para a UA, indicou que o centro deve desenvolver estratégias inovadoras de alfabetização, trabalhar para suprimir as disparidades geográficas e sociais de acesso à educação e "redobrar esforços em matéria de lobbying".

27 Abril 2007 10:11:00


xhtml CSS