Central sindical angolana critica emissão de notas bancárias

Luanda- Angola (PANA) -- A União Nacional dos Trabalhadores Angolanos-Confederação Sindical (UNTA-CS) manifestou a sua indignação por alegadamente não ter sido consultada pelo governo angolano na sua recente decisão de pôr em circulação notas bancárias de maior valor facial.
De acordo com o seu secretário para a informação, João Tambi, o pacto estabelecido no quadro da parceria obriga o governo a consultar os seus parceiros sociais incluindo a UNTA-CS antes de tomar qualquer medida relacionada com a vida dos trabalhadores.
João Tambi falava neste fim-de-semana para apresentar o balanço das actividades levadas a cabo em 2003.
Para ele, a decisão governamental de emitir novas cédulas bancárias "pode agravar ainda mais a situação económica e social dos funcionários, reduzindo o seu poder de compra".
"Estamos a avaliar a medida com os nossos especialistas e caso ela realmente altere a situação inflacionária, teremos de solicitar uma revisão ou um incremento salarial, à luz da taxa de inflação", disse.
Por outro lado, admitiu a possibilidade das duas centrais sindicais do país, a UNTA-CS e a CGSILA (Central Geral dos Sindicaotos Independentes e Livres de Angola) de virem a realizar em 2004 um fórum de concertação  social para adoptar um ponto de vista único em relação às questões da vida dos trabalhadores angolanos.
Embora não exista entre as duas centrais sindicais qualquer relação institucional, é desejo dos sindicalistas  encontrarem um ponto de vista comum sobre as diversas matérias que afligem os trabalhadores, antes de irem à mesa de negociações com o governo, indicou.
O actual salário mínimo nacional da função pública é avaliado em 50 dólares americanos que são completamente irrisórios para contrapor o actual custo de vida.
A 16 de Dezembro último, a Assembleia Nacional autorizou o Banco Nacional  de Angola (BNA) a emitir notas de maior valor facial, um acto que não contou com o apoio da oposição.
As referidas notas de 200, 500, 1.
000, 2.
000, 5.
000 e 10.
000 kwanzas entrarão em circulação neste primeiro semestre de 2004, segundo o vice-governador do BNA, Adriano Pascoal.
Entre as notas do BNA actualmente em circulação o maior valor facial é de 100 kwanzas.

05 Janeiro 2004 21:34:00


xhtml CSS