Caso Ould Haidallah e co-acusados faz manchete na Mauritânia

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- A imprensa mauritaniana desta semana consagrou quase a totalidade dos seis comentários ao caso do ex- Presidente mauritaniano, Mohammed Khouna Ould Haidallah, e dos seus 14 co-acusados julgados por "preparação de actos susceptíveis de inverter a ordem constitucional, com a cumpliciade de uma potência estrangeira, bem como por atentado aos interesses do país".
Na sua edição de quinta-feira, o Le Calame apresenta "Caso Mohamed Khouna Ould Haidallah e dos seus companheiros: um processo judicial pouco ordinário".
O jornal recolheu ainda as declarações de todos os advogados estrangeiros publicadas sob o título "O processo judicial de todos os não" O semanário consagra-se a uma restrospectiva de todos processos judiciais políticos registados desde 1992.
o La Tribune de três de Dezembro publica, no mesmo contexto, "Caso Ould Haidallah e os seus co-acusados : excepções e excepções", ressaltando "numerosos vícios formais" que caracterizaram a conduta do processo judicial.
O diário Nouakchott-Info de três de Dezembro consagra igualmente a sua manchete ao mesmo caso e edita "Mohamed Khouna Ould Haidallah clama sua inocência, a justiça garante e a defesa preocupa-se".
O L'Eveil de dois de Dezembro, publicou as fotos de Mohamed Khouna Ould Haidallah e de três dos seus co-reus na primeira página com o comentário "Processo judicial de Mohamed Khouna Ould Haidallah e dos seus companheiros no fundo da crise política".
O ex-Presidente mauritaniano, Mohammed Khouna Ould Haidallah, foi candidato às eleiçoes presidenciais de sete de Novembro 2003.
Esta a ser julgado, juntamente com 14 dos seus companheiros por "preparação de actos susceptíveis de inverter a ordem constitucional, com a cumplicidade de uma potência estrangeira, bem como por atentado aos interesses do país".

04 Dezembro 2003 21:56:00


xhtml CSS