Cartum promete desmantelar milícias Djandjanweeds

Cartum- Sudão (PANA) -- As autoridades de Cartum prometeram desmantelar as famosas milícias Djandjanweeds acusadas de cometer atrocidades em Darfur.
Esta promessa surge dois dias depois do governo sudanês ter pedido a todos os grupos declarados ilegais em Darfur que depusessem as armas.
As Djandjaweeds são igualmente acusadas de levar a cabo uma operação de limpeza étnica e um genocídio na região de Darfur afectada pela guerra onde dois movimentos rebeldes - o Movimento para a Libertação do Sudão (SLM) e o Movimento para a Justiça e Igualidade (JEM) - revoltaram-se contra o governo em Fevereiro de 2003 para denunciarem a marginalização desta região do oeste do país.
Cartum deu um prazo de cinco dias, a partir de terça-feira, para se deporem as armas e se renderem, ameaçando-as de uma "guerra implacável" a ser lançada contra o grupo se continuar as suas práticas desumanas.
As autoridades informaram-se devidamente no local antes de atacarem as mílicias se não se desarmarem dentro de cinco dias, preveniu o ministro delegado para os Assuntos Internos, Ahmed Mohammed Harun, após uma visita a Nyala, capital de Darfur.
Esta decisão segue-se a uma visita de 24 horas do vice-Presidente Ali Osman Mohammed Taha a Darfur, que serviu para discutir com as autoridades locais vias e meios para se chegar a uma resolução política global.
O decreto contra as Djandjaweeds, uma milícia que, na opinião de muitas organizações regionais e internacionais, está ligada a Cartum, coincide também com uma declaração política do Presidente Omar Hassan el-Bachir que ordena às instituições estatais a lançarem uma guerra enérgica contra as milícias Djandjaweeds, Tora Bora e "Bashmarga".
Os habitantes de Darfur designam as milícias Djandjaweeds por "Bashmaraga", comparando-as com as milícias Kurdas muito famosas no Iraque.
Apelidam ainda as forças rebeldes do SLM e do JEM de Tora Bora devido às suas características geográficas similares às dos Talibães afegãos, e às de Tora Bora de Osama Ben Laden.
Esta decisão hostil aos rebeldes armados, coincide com o recrudescimento da pressão internacional sobre Cartum para desarmar e controlar as milícias Djandjaweeds, acusadas de violações dos direitos humanos em Darfur.

23 Junho 2004 17:55:00




xhtml CSS