Camponeses congoleses do sul recebem mandioqueiras

Brazzaville- Congo (PANA) -- O departamento congolês de Lekoumou (sul) acaba de lançar uma campanha de distribuição de estacas de mandioca para as populações das aldeias do eixo Mapati- Zanaga para fazerem face à "epidemia" da cochinilha, soube-se quinta-feira em Brazzaville.
A campanha lançada pelo prefeito departamental, François Adzabi, vai abranger quase 600 camponeses situados ao longo daquele eixo e actualmente confrontados há mais de um ano com uma falta gritante da mandioca, que constitui o alimento base.
Para erradicar o flagelo e resolver o problema da fome que assola estas localidades, Adzabi entregou um primeiro lote de nove mil estacas integradas por três variedades resistentes à cochinilha para as populações de Tongo, Mbomo e Nkengue.
A cerimónia de entrega decorreu na aldeia Tongo, a 120 km de Sibiti, na presença do secretário-geral do distrito de Zanaga, Obame-Balakila, representando o vice-prefeito em missão e os habitantes destas três aldeias.
Esta calamidade natural não é a primeira em Lekoumou onde já em 1935, as culturas de mandioca e da banana foram totalmente destruídas pela mesma epidemia, criando uma fome de quase cinco anos.

11 Dezembro 2003 22:02:00


xhtml CSS