Campanha das Nações Unidas contra pobreza em África

Nairobi- Quénia (PANA) -- Activistas africanos engajados na luta contra a pobreza reuniram-se sexta-feira em Nairobi, no Quénia, para celebrar o sucesso duma grande iniciativa visando levar os Governos do mundo a iniciar o processo de realização dos objectivos definidos pelas Nações Unidas em matéria de luta contra a pobreza.
"Estamos, particularmente satisfeitos pelo facto de milhões de Africanos decidirem tomar iniciativas a fim de se implicarem nesta campanha", afirmou Tajudeen Abdul-Raheem, director adjunto para África da Campanha das Nações Unidas sobre os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), cuja sede encontra-se em Nairobi.
Ressaltou que o interesse suscitado, em África, pela campanha de luta contra a pobreza, é uma prova manifesta da convicção dos Africanos de que a pobreza crónica pode ser erradicada no continente se os dirigentes africanos mostrarem compromisso, vontade política e sentido de responsabilidade.
Os organizadores da campanha afirmaram sexta-feira, durante os três dias consagrados à promoção desta operação que os esforços consentidos para tentar fazer compreender os cidadãos africanos da necessidade de pedir aos diferentes governos contas sobre o cumprimento da sua promessa em reduzir a pobreza para metade, receberam o maior número de reacções positivas jamais registadas.
Cerca de 24 milhões de pessoas, ou seja o equivalente a três por cento da população africana, foram mobilizadas para participar nos diversos eventos nos 30 países do mundo.
Esta "Campanha de pé" contra a pobreza ocasionou a organização de vários eventos à volta do tema "Stand Up and Take Action (Levantemo- nos e Ajamos".
"Os Governos africanos deverão desempenhar o papel de facilitadores e cumprir com os seus compromissos para com o seu povo se eles quiserem realizar os objectivos dos seus países respectivos", afirmou Mwangi Waituru, coordenador da secção queniana do movimento Global Call to Action Against Poverty (GCAP - Apelo Mundial para Acção contra Pobreza).
Os militantes indicaram que a campanha registou a maior mobilização de massas num só evento, prometendo assim permanecer mobilizados para concretizar um dos ODM até 2015.
Os OMD são uma série de objectivos de desenvolvimento realizáveis que todos os Estados membros prometeram implementar até 2015.
Os militantes informaram da sua decepção pelo facto de que em oito anos de trabalho e de campanha sobre a necessidade de reduzir a pobreza em África, "parece que nada mudou até agora".
"Trata-se, sem dúvida, da mais importante mobilização desde que o Livro Guinness de Recordes começou a registar os recordes", disse Salil Shetty, director da Campanha para o Milénio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
"Os cidadãos do mundo advertem os seus líderes a nível nacional e mundial que os seus compromissos de realizar os ODM até ao ano 2015 devem ser respeitados, pois os atrasos e desculpas não são mais aceitáveis", indicou.
Os organizadores da campanha informaram igualmente que a mobilização des massas tem o poder de mudar o curso da história e trabalhar a favor dum reforço das acções se se quiser que os ODM sejam realizados em África.

24 Outubro 2008 18:05:00


xhtml CSS