Caçador aprisionado por matar tartaruga protegida na Libéria

Monróvia, Libéria (PANA) - Um caçador liberiano acaba de ser condenado a um ano de prisão firme por ter matado uma tartaruga cuja espécie é ameaçada de extinção, soube-se de fonte oficial em Monróvia.

O tribunal de Buchanan, segunda cidade portuária de Monróvia, sentenciou assim o caçador por ter tirado a vida a esta animal citado entre as espécies selvagens protegidas na Libéria pela Autoridade de Desenvolvimento das Florestas (FDA), indicaram relatórios mediáticos.

O suspeito foi detido a 15 de novembro por guardas florestais da FDA, a agência do Governo encarregue de proteger as florestas e a fauna da Libéria.

O acusado foi entregue à Polícia Nacional liberiana que, depois de inquirir, deteve-o e enviou-o diante do tribunal de Buchanan, a cerca de 137 quilómetros a sudeste de Monróvia, a capital da Libéria.

Segundo o tribunal, o arguido confessou, durante o inquérito, estar consciente de que a tartaruga era protegida mas que a matara pela sua delicadeza e pelo seu valor económico.

A tartaruga em apreço foi confiscada aquando da detenção do caçador e queimada diante dum grupo multilateral composto pela Agência de proteção do ambiente, pela FDA, pelo Gabinete das Pescas Marítimas, pela Polícia e por autoridades locais.

-0- PANA PTK/VAO/MMS/BEH/MAR/DD 23nov2017

24 november 2017 11:12:17


xhtml CSS