Cabo-verdiana Vera Duarte vence Prémio literário da Sonangol

Praia- Cabo Verde (PANA) -- A poetisa cabo-verdiana Vera Duarte venceu ex-aequo com o também poeta angolano Adriano Botelho de Vasconcelos o Prémio Sonangol de Literatura 2003, apurou a PANA.
O resultado da edição do ano passado do concurso literário instituído pela companhia petrolífera angolana, a Sonangol, foi divulgado quarta-feira na cidade cabo-verdiana do Mindelo, pelo presidente da Associação dos Escritores de Cabo Verde (AEC).
Corsino Fortes disse, em conferência de imprensa, que dada a "excelente qualidade" da maioria dos trabalhos, o júri teve uma tarefa árdua para escolher os vencedores do Prémio, destinado a escritores de Angola, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.
Presidido por Corsino Fortes, o júri foi constituído por cinco pessoas que avaliaram 30 títulos provenientes de Cabo Verde (16), Angola (11) e São Tomé e Príncipe (3).
"A Candidata", o título da obra de Vera Duarte, conta a história da "formação e do evoluir da conscientização política de uma heroína que (.
.
.
) se afirma como uma mulher activa, solidária e participativa, quer na luta de libertação nacional, quer na luta pela defesa dos direitos humanos a nível global", disse Fortes.
O escritor angolano Adriano Botelho de Vasconcelos, por seu lado, concorreu com "Tábua", um poema longo "pertinente e actual", como o definiu o júri.
Segundo presidente da AEC, "a qualidade, mas também o número de obras a concurso, vêem valorizar ainda mais a acção da Sonangol no quadro do mecenato cultural e na aproximação das literaturas de Angola, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde".
O prémio monetário, de 25 mil dólares a dividir pelos dois vencedores, será entregue em Luanda a 25 de Fevereiro, data do aniversário da Sonangol, ao passo que o lançamento das obras premiadas deve ocorrer a 25 de Maio, Dia de África.
Corsino Fortes disse ainda que o júri do concurso recomendou à entidade organizadora o aumento do valor do prémio monetário e dos membros do juri de cinco para sete.
O júri recomendou também a expansão do concurso a países como a Guiné-Bissau, Moçambique e Timor Leste e ainda a alternância do concurso em prosa e em poesia, separados de dois em dois anos.
Actualmente, o concurso abrange apenas os países onde a empresa petrolífera angolana já está implantada.
No caso de Cabo Verde, a Sonangol é um dos parceiros estratégicos da empresa nacional de combustíveis, a Enacol.

29 يناير 2004 20:35:00


xhtml CSS