Cabo Verde vacina 70 mil crianças contra poliomielite

Praia- Cabo Verde (PANA) -- Cabo Verde espera vacinar cerca de 70 mil crianças, menores de cinco anos, durante a campanha de vacinação contra a poliomielite que começa este sábado, abrangendo 19 países da África Ocidental e Central, apurou a PANA na cidade da Praia de fonte sanitária.
Trata-se de uma campanha sincronizada, resultante de uma iniciativa conjunta do UNICEF e da OMS, com o objectivo de acelerar a luta para a erradicação da poliomielite em África e de contribuir para a redução da mortalidade infantil e o consequente alcance do quarto Objectivo do Desenvolvimento do Milénio, ou seja reduzir e mortalidade infantil em menores de cinco anos de idade.
Mais de 400 mil voluntários e agentes de saúde foram mobilizado para esta campanha que se inscreve no âmbito da resposta à epidemia que se propagou em 2008, a partir da Nigéria, país endémico, aos países vizinhos onde até então não havia registo de casos de poliomielite, doença que continua a paralisar crianças na África Ocidental e Central.
Esta complexa operação logística, que vai desenrolar-se em duas fases (6 a 9 de Março e 24 a 27 de Abril), vai ser possível, em grande parte, graças a um financiamento de 30 milhões de dólares americanos concedido pela Rotary International, um parceiro de peso no esforço mundial para travar o vírus da pólio.
Os 19 países que participam nesta campanha sincronizada de vacinação são o Benin, o Burkina Faso, os Camarões, Cabo Verde, a República Centroafricana, a Côte d'Ivoire, a Gâmbia, o Gana, a Guiné-Conakry, a Guiné-Bissau, a Libéria, o Mali, a Mauritânia, o Níger, a Nigéria, o Senegal, a Serra Leoa, o Tchad e o Togo.
No caso particular de Cabo Verde, a taxa de vacinação contra a poliomielite ainda não atinge o objectivo desejado (100 porcento), o que vem constituindo motivo de preocupação por parte dos profissionais da saúde.
Dados estatísticos relativos à vacinação contra a pólio, em 2004, indicam que num universo de 57 mil 287 crianças que, segundo avaliação do censo de 2000, deviam existir nessa altura em Cabo Verde na faixa etária dos zero aos cinco anos, foram vacinadas na primeira fase 88,6 porcento, enquanto que na segunda fase a taxa atingiu os 94,22 porcento.
No entanto, há mais de cinco anos que Cabo Verde não tem registado casos de paralisia infantil, doença causada pelo vírus da pólio.
Com esta campanha de vacinação, o Ministério cabo-verdiano da Saúde pretende reforçar o estado de imunização das crianças, minimizar os efeitos dessas infecções e reduzir a circulação desses vírus entre as mesmas, de modo a erradicar a doença no arquipélago.

06 march 2010 16:43:00




xhtml CSS