Cabo Verde participa no Campeonato Africno de Ginástica Rítmica Desportiva

Praia, Cabo Verde (PANA) - Cabo Verde vai participar com quatro atletas na 12ª edição do Campeonato Africano de Ginástica Rítmica Desportiva, previsto na África do Sul até 1 de abril, soube a PANA na cidade da Praia de fonte desportiva.
  
A seleção cabo-verdiana, treinada por Silvéria Nédio, é integrada pelas atletas Elyane Boal e Leila Furtado, na categoria sénior, e or Márcia Lopes e Vadyuska Rodrigues, em juniores.

Este será o regresso de Cabo Verde à maior competição desta disciplina da ginástica africana depois de ter falhado as duas últimas edições de uma prova desportiva onde as ginastas cabo-verdianas já conquistaram no passado várias medalhas, inclusive uma de ouro, em 2006, por intermédio de Wânia Monteiro.

Na edição deste ano, Cabo Verde faz-se também representar pela juíza Elena Atmacheva, antiga treinadora da seleção, que já levou ginastas cabo-verdianas a grandes palcos mundiais como os Jogos Olímpicos e várias edições campeonatos africanos.

Além de Cabo Verde, participam nesta prova ginastas da África do Sul, de Angola, da  Argélia, do Egito, de Marrocos, da Namíbia, da Tunísia e do Zimbabwe.

Esta vai ser a primeira participação internacional de um equipa cabo-verdiana depois da entrada em funções da Comissão Nacional de Ginástica, em abril do ano passado.

A comissão, presidida pela tricampeã nacional Lizandra Varela e que tem como secretária-geral a ex-atleta olímpica Wânia Monteiro, pretende, a médio prazo, voltar a colocar a ginástica rítmica cabo-verdiana no patamar mais elevado do desporto mundial onde no passado recente marca presença com regularidade.

No entanto, um dos grandes objetivos da comissão consiste na constituição da Federação Cabo-verdiana de Ginástica,  o que nunca se chegou a constituir uma vez que em Cabo Verde a lei apenas possibilita a existência de federações quando existirem, no mínimo, três associações.

Na ginástica rítmica, existem atualmente apenas as associações da Praia e de São Vicente, apesar de já terem existido delegações no Sal e na Assomada, que, no entanto, nunca chegaram a desenvolver a atividade.

Neste sentido, a CNG considera que  a criação de mais uma associação é fundamental para os
objetivos do desenvolvimento e maior implantação da ginástica rítmica desportiva em Cabo
Verde.

-0-  PANA CS/TON 29março2014


29 Março 2014 20:08:05


xhtml CSS