Cabo Verde participa na Conferência Internacional sobre Oceanos

Praia, Cabo Verde (PANA) – O ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves, representará Cabo Verde na Conferência Internacional sobre os Oceanos prevista para 05 a 09 de junho na sede das Nações Unidas  em Nova Iorque, (Estados Unidos), apurou a PANA neste fim de semana na cidade da Praia de fonte segura.

Este evento internacional decorre este ano sob o lema “Nossos oceanos, nosso futuro: parcerias para a Implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14”, e tem como meta “Buscar apoio para a implementação global do item 14 dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) ”, das Nações Unidas.

Enfrentar o lixo marinho, a conservação e o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos são também objetivos da conferência.

Em declarações à imprensa, José Gonçalves considerou a Economia Azul um tema “muito importante” para Cabo Verde, país “pequeno em terra” mas “um grande país” pela dimensão do seu mar.

Segundo o ministro da Economia, o mar tem recursos que ligam Cabo Verde a outros países, advogando que esses recursos têm que ser geridos da melhor forma em aspetos como a sustentabilidade, ambiente e crescimento económico.

O governante destacou riquezas nos mares de Cabo Verde que ainda não são conhecidos, pelo que, frisou, o país almeja que no futuro e com a ajuda das tecnologias possam ser exploradas e que delas possam ser tirados rendimentos para fazer com que o arquipélago venha a ser “um país rico”.

José Gonçalves recordou  que Cabo Verde vai a este encontro na sequência da conferência “Diálogo sobre crescimento da economia azul”, decorrida de 03 a 05 de maio último, na ilha de São Vicente.

Adiantou que, paralelamente, país partcipará em  “encontros importantes” com outros países insulares, como Granada e Islândia, e que serão porta-vozes dos países ilhéus de várias partes do mundo.

“A economia azul hoje tem maior importância e Cabo Verde cada vez mais está a ter mais protagonismo nesta área”, anotou.

Acrescentou ainda que o arquipélago está a liderar, em África, os Pequenos Estados Insulares nesta matéria e que foi designado também, recentemente, num encontro em Dakar (Senegal), como país que vai presidir nos próximos dois anos à Comissão Sub-regional das Pescas.

O governante afiançou que, tendo em conta que a gestão sustentável dos recursos e meios para combater a pesca ilegal e não regulamentada, são algumas das preocupações de Cabo Verde, pelo que espera que o país venha a dar um “cunho importante” nessa comissão sub-regional com a participação do setor privado.

-0- PANA CS/DD 03junho2017

03 Junho 2017 16:56:17


xhtml CSS