Cabo Verde mantém taxa de prevalência de VIH/SIDA

Praia, Cabo Verde (PANA) – A taxa de prevalência do VIH/SIDA em Cabo Verde permanece em 0,8 porcento, anunciou segunda-feira o Comité de Coordenação do Combate à SIDA (CCS-SIDA).

Segundo o CCS-SIDA, que divulgou estes dados por ocasião do Dia Mundial de Luta Contra a SIDA celebrado esta segunda-feira, as taxas de prevalência apresentam número variáveis consoante as ilhas e concelhos, faixas etárias e estratos sociais da população.

Na cidade da Praia, o principal centro populacional do arquipélago, a taxa de prevalência do VIH/SIDA é o dobro a nível nacional, ou seja 1,7 porcento, sendo que os jovens da faixa etária entre os 25 e os 29 anos são a camada mais afetada pelo vírus.

A pandemia afeta as nove ilhas do arquipélago, mas se revela “preocupante” nas ilhas de São Vicente, Boa Vista e Sal, por serem as de maior expressão turística, o que também representa fatores de “vulnerabilidade significativos”.

Os dados do CCS-SIDA revelam as grávidas apresentam a taxa de prevalência mais baixa (0,5 porcento), enquanto nos profissionais de sexo atinge 5,3 porcento e nos consumidores de drogas 3,6 porcento.

Cabo Verde está a executar um Plano Nacional de Luta contra a SIDA (PENLS) para 2011-2015 financiado pelo Fundo Global em cerca de 8,9 milhões de euros.

O PENELS prevê, até 2015, a implementação de seis eixos fundamentais de atuação que abrangem nomeadamente a gestão da informação estratégica sobre a situação e a dinâmica da epidemia, a prevenção da infeção, o tratamento e cuidados continuados, bem como a promoção de um ambiente ético e jurídico favorável.

O Dia Mundial da Luta contra a SIDA é assinalado este ano sob o lema “Não deixe que o medo da discriminação te vença. Faça o teste do VIH, zero é a nossa meta”.

A efeméride tem por objetivo lembrar todas as vítimas que morreram ou que estão infetadas
com a doença que, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), registou, em 2013, 2,1 milhões de novas infeções, dos quais 1,9 milhão são adultos e 240 mil menores de 15 anos.

Desde o registo do primeiro caso em 1981, o Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) já matou mais de 30 milhões de pessoas e atualmente existem no mundo 35 milhões de pessoas que vivem com o VIH/SIDA, das quais 31,8 adultos e 3,2 milhões menores de 15 anos.

A África Subsariana é a região mais afetada pela epidemia, onde um em cada 20 adultos está infetado.

-0-  PANA CS/TON  01dezembro2014


01 Dezembro 2014 14:28:42


xhtml CSS