Cabo Verde fecha aeroportos e suspende voos devido ao furacão "Fred"

Praia, Cabo Verde (PANA) - O mau tempo causado pelo furacão "Fred" que atingiu as ilhas de Cabo verde, desde as primeiras horas de segunda-feira, obrigou as autoridades do país a fechar os aeroportos e suspender todos os voos domésticos e internacionais, apurouu a PANA de fonte aeronáutica.

Segundo a coordenadora do Gabinete de Comunicação e Marketing da empresa cabo-verdiana de Aeroportos e Segurança Aérea (ASA), Janine Cabral, as fortes rajadas de ventos, a chuva intensa  e a baixa visibilidade levaram ao encerramento dos aeroportos e aeródromos do arquipélago, assim como ao cancelamento dos voos até que voltem a estar reunidas as condições de segurança para o efeito.

A mesma fonte revelou que, na ilha da Boa Vista, uma das mais afetadas pela intempérie durante o período de manhã,  a tempestade causou alguns estragos materiais no aeroporto Aristides Pereira.

O aeroporto internacional da Praia, o único onde de manhã ainda foram realizados alguns voos, nomeadamente a ligação para Lisboa (Portugal), também acabou por ser encerrado.

Depois de afetar de manhã e provocar alguns estragos nas ilhas do Sal e da Boavista, o furação Fred caminhava no início da tarde em direção às ilhas mais a norte do arquipélago, designadamente, São Nicolau, São Vicente e Santo Antão.

De acordo com a última atualização do centro de furacões dos Estados Unidos, o furacão Fred estava, no início da tarde, a 70 quilómetros da Ribeira Brava (São Nicolau) e a 90 quilómetros da ilha da Boa Vista.

A previsão é de que o furacão  provoque, durante a tarde e noite, o agravamento do estado do tempo nas ilhas de São Vicente e Santo Antão.

O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) alertou que a situação tende a agravar-se nas próximas horas, sobretudo nas ilhas mais ao norte do arquipélago.

Face a este cenário, o Serviço Nacional de Proteção Civil (SNPC) continua a recomendar as pessoas para se manterem em casa e tomarem todas as medidas de segurança.

A Agência Marítima e Portuária (AMP) proibiu todos os barcos de sair ao mar até que se verifique uma melhoria das condições do mar, onde se prevê que as ondulações podem atingir os sete metros.

Entretanto, o primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, já garantiu que o Governo está mobilizado e a acompanhar a situação e os estragos feitos pela intempérie nas principais ilhas.

Segundo José Maria Neves, o Executivo vem dando orientações e a acompanhar a situação a nível nacional, particularmente para as ilhas de São Nicolau, São Vicente e Santo Antão, que deverão ser as mais fustigadas pela tempestade durante a noite.

“As pessoas devem retirar todos os equipamentos de perto do mar e acatar todas as indicações do Sistema de Protecção Civil, para que se evitem perdas humanas”, advertiu José Maria  Neves.

O primeiro-ministro cabo-verdiano exorta as autoridades municipais para que trabalhem no sentido de proteger as pessoas, principalmente aquelas que estão em situações precárias e que devem ser evacuadas, garantindo que estão a ser tomadas medidas para quaisquer eventualidades.

-0- PANA CS/IZ 31ago2015

31 Agosto 2015 21:31:21


xhtml CSS