Cabo Verde estuda introdução de vacina anti-polio injectável

Praia- Cabo Verde (PANA) -- As autoridades sanitárias e agências das Nações Unidas em Cabo Verde iniciaram esta semana debates sobre a introdução da vacina anti-poliomielite injectável (VIP) no país, apurou a PANA na cidade da Praia.
Com a participação de um representante do projecto de Apoio ao Reforço da Independência Vacinal em África (ARIVA), o encontro visou melhor compreender os antecedentes, objectivos e metodologia do projecto de introdução da VIP, e clarificar os benefícios e constrangimentos deste tipo de vacina.
Na década de 80, Cabo Verde conseguiu alcançar uma taxa de cobertura da vacinação contra a poliomielite superior a 90 por cento, de acordo com o Ministério da Saúde.
Graças à actuação das autoridades sanitárias do país, o controlo desta doença evoluiu favoravelmente, permitindo que, em 1988, fosse identificado o último caso de poliomielite em Cabo Verde.
No entanto, a situação alterou-se em 2000, com a referência de mais 50 casos da doença, provavelmente originados com a redução substancial da taxa de cobertura vacinal registada nessa altura a nível nacional.
Desses casos, cerca de oito afectados faleceram e duas dezenas ficaram com sequelas dessa infecção conhecida vulgarmente como paralisia infantil.
Entretanto, em 2002 e 2003, as autoridades sanitárias do arquipélago levaram acabo uma campanha nacional de vacinação contra a doença para a sua total erradicação até 2005.

25 Junho 2004 18:15:00




xhtml CSS