Cabo Verde disponibiliza sementes gratuitamente aos agricultores

Praia, Cabo Verde (PANA) – O Governo cabo-verdiano vai disponibilizar sementes gratuitamente aos agricultores para a sementeira de sequeiro na campanha agrícola que se aproxima, anunciou quarta-feira fonte oficial.

Em declarações à agência cabo-verdiana de notícias (Inforpress), a ministra do Desenvolvimento Rural, Eva Ortet, explicou que o objetivo desta iniciativa é facilitar o acesso às sementes para dar início à campanha agrícola, sobretudo às famílias mais carenciadas, tendo em conta a fraca produção registada no ano passado no arquipélago.

Eva Ortet  recordou que o Governo, face ao mau ano agrícola, solicitou o apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) para a implementação de um  plano visando mitigar os efeitos da seca que se abateu sobre as ilhas.

“A FAO disponibilizou 500 mil dólares (americanos) para o plano, que, neste momento, já está em execução”, disse, anotando que o projeto consiste também em disponibilizar gratuitamente algum produto para a alimentação do gado", para além das sementes de sequeiro (milho e feijões) e de regadio.

No seu site oficial na Internet, a FAO anunciou que iria fornecer a Cabo Verde sementes, alimentos para animais e equipamentos de irrigação, para ajudar milhares de pessoas, cuja segurança alimentar e meios de subsistência estão em risco, na sequência de uma queda acentuada na produção agrícola este ano devido à seca.

A FAO previu ajudar oito mil e 237 famílias rurais que são mais vulneráveis aos impactos da seca em Cabo Verde, que registou menos 65 porcento de chuva em relação ao ano anterior.

"Cerca de 30 mil pessoas precisam de assistência urgente e muitas das famílias mais vulneráveis perderam toda ou grande parte de suas colheitas de cereais em oito das ilhas mais afetadas em Cabo Verde", constatou a FAO.

Da parte do Governo, para além dos cerca de 200 mil contos cabo-verdianos (cerca de 190 mil euros), o Executivo disponibilizou ultimamente mais 50 mil contos (45,5 mil euros) para reforçar o plano de salvamento do gado e de melhoria das condições de cultivo no regadio.

Trata-se, nomeadamente, do equipamento de vários furos e da mobilização de mais água para acudir às famílias que já tinham as suas parcelas plantadas.

Eva Ortet considera que o plano de mitigação dos efeitos do mau ano agrícola permitiu fazer um trabalho “eficiente”.

“Podemos detetar rapidamente essa necessidade, elaborar e executar o plano e portanto podemos dizer que foi um sucesso”, disse a governante, sublinhando que o Governo está ciente de que o ano ainda não terminou e tem de estar sempre preparado para eventualmente o pais voltar a enfrentar mais um ano de seca.

-0- PANA CS/IZ 24junho2015



24 Junho 2015 23:27:33


xhtml CSS