Cabo Verde desmente ocorrência de um eventual surto de febre tifóide

Praia, Cabo Verde (PANA) - O Ministério da Saúde e da Segurança Social de Cabo Verde desmentiu “veementemente”, esta segunda-feira, as informações veiculadas num dos jornais do país sobre um eventual surto de febre tifóide, doença extremamente mortal e muito resistente às vacinas.

No último fim de semana, o jornal online "Ocean Presshavia" citou um artigo saído da edição também online do jornal londrino The Sun a alertar turistas britânicos que viajam para Cabo Verde sobre a existência no arquipélago de um novo tipo da febre tifóide, provocada pela ingestão da batéria Salmonella Typhi.

Cabo Verde é um dos destinos turísticos preferidos dos turistas ingleses, a par da Grécia, do Egito (Charm El-Cheikh), da República Dominicana e de Cancun, no México.

A informação divulgada pelo The Sun e retomada pelo online cabo-verdiano cita o cientista inglês Rchard Conroy, que preside à autoridade britânica de alimentação, a apontar o arquipélago como um dos países cujos resorts poderiam ser afetados pela tifóide, doença que causa febre, vómito e até a morte se for não tratada a tempo.

Em nota, o Ministério da Saúde de Cabo Verde diz que o arquipélago faz uma vigilância epidemiológica contínua, desde há muitos anos, das doenças diarreicas em geral e da febre tifóide em particular.

O departamento governamental responsável pelo setor da saúde garante que o serviço de vigilância epidemiológica não registou, até à data em que a notícia foi divulgada, 21 de outubro corrente, nenhum caso suspeito de febre tifóide.

“Cabo Verde é um país credível, que cumpre o Regulamento Sanitário Internacional (RSI), facto reconhecido pelas instâncias internacionais, nomeadamente pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Ministério da Saúde reafirma a determinação do Governo no cumprimento rigoroso do RSI e as normas de vigilância epidemiológica e de resposta”, realça o documento.

A nota sublinha ainda que “tendo em consideração o impato que notícias infundadas e de teor alarmante poderão ter sobre o Turismo,  um setor crucial da nossa economia”, o Ministério da Saúde “aproveita  para pedir à Comunicação Social nacional e internacional o tratamento adequado das notícias, através da confirmação por fontes com responsabilidade na matéria, antes da sua divulgação”.

-0- PANA CS/IZ 24out2016


24 Outubro 2016 16:16:02


xhtml CSS