Cabo Verde com previsões pluviométricas diferenciadas e pouco otimistas

Praia, Cabo Verde (PANA) – As previsões pluviométricas apresentadas, quinta-feira, na cidade da Praia, pelo Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG), indicam cenários diferenciados e pouco otimistas sobre a época das chuvas este ano, em Cabo Verde.

Estas previsões foram apresentadas durante a reunião de preparação para a época das chuvas de 2015, a decorrer na capital cabo-verdiana sob a égide do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB).

Elas foram feitas pelos grandes centros mundiais e regionais, designadamente, o Centro Africano para as Aplicações da Meteorologia no Desenvolvimento (ACMAD) e o Centro Regional de Agricultura, Hidrologia e Meteorologia (AGRYMET) bem como por instituições locais, para os meses de julho a setembro, período em que tradicionalmente chove mais em Cabo Verde.

No que se refere aos grandes centros de previsão meteorológica, com exceção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) do Brasil, a situação relativamente a Cabo Verde é apontada como “deficitária”, isto é, a quantidade de chuva não será suficiente para garantir a produção agrícola satisfatória e nem a recarga dos lençóis freáticos em grande escala.

Já os centros regionais prevêem uma situação pluviométrica acima do normal na zona que se inicia do Níger e que poderá atingir também Cabo Verde.

Enquanto isso, os modelos locais prevêem uma situação pluviométrica normal no arquipélago, com ligeira tendência excedentária em Santo Antão, Santiago e São Nicolau, enquanto as ilhas do Fogo e da Brava apresentam uma previsão bastante deficitária.

O técnico do INMG,  Antónino Pereira explicou que, de uma forma geral, as previsões do instituto não são muito encorajadoras, mas também não são pessimistas.

“Em termos agrícolas, poderemos ter uma situação normal, que dá pelo menos para garantir a segurança alimentar das pessoas durante o ano”, isto, segundo ele,”fazendo a média das ilhas com melhores previsões e das com previsões não muito boas”.

No ano passado, Cabo Verde teve um mau ano agrícola fruto da fraca pluviometria registada, sobretudo, nas ilhas com maior vocação agrícola.

-0- PANA CS/IZ 26junho2015

26 Junho 2015 17:46:24


xhtml CSS