Cabo Verde aumenta em 6,2 porcento capacidade de alojamento de turistas

Praia, Cabo Verde (PANA) – O número de hotéis em 2016 em Cabo Verde aumentou 3,1 porcento, o que também se traduziu no aumento da capacidade de alojamento turístico no país em 6,2 porcento, segundo dados divulgados quinta-feira, na cidade da Praia, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Conforme os resultados do Inventário Anual dos Estabelecimentos Hoteleiros, apurados pelo INE, em 2015, Cabo Verde tinha uma capacidade de alojamento de 22 mil 954 quartos, número que aumentou para 24 mil 376 quartos em 2016, ano em que o país passou a dispor de 233 hotéis em atividade.

No que se refere à distribuição das unidades hoteleiras pelo território nacional, o inventário dá conta que Santiago é a ilha com mais estabelecimentos de alojamento turístico (50), que corresponde a 21,5 porcento do total existente.

Seguem-se as ilhas de Santo Antão, São Vicente e Sal com 42, 41 e 29, respetivamente, representando 18,0 porcento, 17,6 porcento e 12,4 porcento.

Em relação ao tipo de alojamento, o maior aumento aconteceu nas residenciais, com mais seis estabelecimentos, seguidas dos hotéis (cinco), pousadas (duas) e aldeamentos turísticos (um), tendo havido, no sentido contrário, menos cinco pensões e dois hotéis apartamentos.

As residenciais continuam a ser os estabelecimentos com maior peso em Cabo Verde, representando 33 porcento do total, ficando as pensões e os hotéis em segundo e terceiro lugares com 27,5 porcento e 25,3 porcento, respetivamente.

A ilha do Sal continua no topo da lista de quartos disponíveis, com 47,2 porcento, seguida da Boavista (24,7 porcento) e Santiago (11,2 porcento).

De acordo com os dados do INE, o pessoal de serviço nos hotéis cabo-verdianos aumentou 20,5 porcento, passando de seis mil 426 para sete mil 742 trabalhadores.

Os hotéis continuam a empregar o maior número de pessoas, representando 84,2 porcento do total, seguidos pelas pensões (4,6 porcento) e as residenciais (4,2 porcento).

Em relação às ilhas, a Sal tem a maioria do pessoal empregado nos estabelecimentos hoteleiros, com 53 porcento, seguida da Boavista, com 24,7 porcento, e da Santiago com 10,6 porcento.

O inventário estatístico concluiu que a grande maioria do pessoal empregado (91,9 porcento) é cabo-verdiana, sendo mais da metade (59,7 porcento) do sexo feminino.

Este aumento da capacidade de alojamento foi também acompanhado do número de hóspedes nas unidades hoteleiras em Cabo Verde que, em 2016, registou mais de 644 mil hóspedes, um aumento de 13,2 porcento em relação ao ano de 2015.

Sal foi a ilha mais procurada, representando 46,6 porcento das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros e o Reino Unido, o principal país de proveniência de turistas. Foram também estes que permaneceram mais tempo em Cabo Verde, com uma estadia média de 9,1 noites.

Em relação apenas ao quarto trimestre do ano de 2016, o INE indica que os estabelecimentos hoteleiros em Cabo Verde receberam quase 183 mil hóspedes, uma subida de 13,9 porcento quando comparado com o mesmo período de 2015, tendo entrado mais 22 mil 249 turistas.

No período em análise, as dormidas também aumentaram e atingiram um milhão 131 mil 686 com uma variação positiva de 8,6 porcento, em relação ao 4º trimestre de 2015.

O INE de Cabo Verde revela ainda que, com 84,3 porcento do total das entradas e 91,1 porcento das dormidas, os hotéis continuam a ser os estabelecimentos hoteleiros mais procurados.

-0- PANA CS/DD 16mar2017

16 Março 2017 10:55:13


xhtml CSS