Cabo Verde assinala Dia Internacional da Biodiversidade com caminhada educativa

Praia, Cabo Verde (PANA) - Uma caminhada educativa no perímetro florestal de Rui Vaz (São Domingos), na ilha cabo-verdiana de Santiago, envolvendo alunos das escolas locais e várias instituições, marcou esta sexta-feira, em Cabo Verde, o Dia Internacional da Biodiversidade, assinalado este ano sob o lema “Desenvolvimento Sustentável”.

Em Cabo Verde, todos os anos a data é assinalada com a realização de palestras nas escolas, campanhas e passeatas visando a chamada de atenção do homem que, enquanto parte da biodiversidade, deve estar engajado na sua manutenção e preservação.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Rural (MDR), o perímetro florestal de Rui Vaz, onde  teve lugar a caminhada, vem sendo degradado de ano para ano devido a causas de origem humana (agricultura, pastoreio, desflorestação), assim como causas naturais ligadas ao processo de desertificação e mudanças climáticas.

Neste sentido, disse, a caminhada teve por objetivo divulgar e explicar os endemismos existentes, sensibilizar as escolas e a comunidade para a preservação dos endemismos, bem como as ameaças existentes e a necessidade de adopar comportamentos amigos do ambiente e adequados em áreas florestais.

"Isto porque, disse, devido ao mau ano agrícola a pressão é maior nessas zonas, pelo que há necessidade de sensibilização das comunidades para a preservação do ecossistema", explicou.

Alertou que a degradação ambiental das paisagens e dos ecossistemas “constitui um prejuízo ambiental e socioeconómico enorme, apresentando um enorme risco para gerações futuras”.

Para incentivar a proteção dos seres vivos e do meio ambiente, este ano, a data é comemorada no arquipélago sob o lema "Proteja o meio ambiente, preserve a vida”.

Por fazer parte dos países que assinaram a Convenção da Biodiversidade, Cabo Verde tem deveres a cumprir no sentido de melhorar e preservar a sua diversidade biológica.

Isto faz com que o arquipélago tenha uma rede de áreas protegidas integrada por 47 sítios, de entre os quais 20 são sítios terrestres e 27 marinhos e costeiros, categorizados em paisagens protegidas, reservas naturais, parques naturais, monumentos naturais e reservas naturais integradas.

O arquipélago é constituído, também, por uma flora indígena formada por 224 espécies, das quais 85 são endémicas e as restantes são espécies espontâneas naturalizadas.

Por seu turno, a fauna indígena engloba espécie de recifes de corais, moluscos, artrópodes (insectos, crustáceos e aracnídeos), peixes, répteis e aves e, provavelmente, algumas espécies de mamíferos marinhos.

De acordo com o ponto focal da Convenção da Biodiversidade em Cabo Verde, Sónia Araújo, Santo Antão é a ilha mais rica (46 espécies) em relação à biodiversidade endémica, seguida de São Nicolau (44 espécies), Santiago (36 espécies), Fogo (35) e São Vicente (34).

Santiago é a ilha que apresenta a maior taxa de endemismo a nível da fauna.

O Dia Internacional da Biodiversidade foi proclamado pelas Nações Unidas a 22 de maio de 1992, data em que se adotou o texto final da Convenção da Diversidade Biológica.

As Nações Unidas indicaram que o lema deste ano reflete a importância dos esforços realizados a todos os níveis para definir um conjunto de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), como parte da Agenda das Nações Unidas de Desenvolvimento pós-2015 para o 2015-2030, e salientar a importância da biodiversidade para a prossecução do desenvolvimento sustentável.

-0- PANA CS/IZ 22maio2015


22 Maio 2015 21:28:35


xhtml CSS