Cabo Verde aposta na mobilização de novos recursos hídricos

Praia- Cabo Verde (PANA) -- Em 2003, proclamado pela Organização das Nações Unidas como o Ano Internacional da Água, Cabo Verde aposta na mobilização de novos recursos hídricos, apurou a PANA de fonte na cidade da Praia.
Numa entrevista concedida ao semanário HORIZONTE publicado esta sexta-feira, o presidente do Instituto Nacional de Gestão dos Recursos Hídricos, Rui Silva, anuncia que o ano de 2003, vai ser marcado em Cabo Verde por grandes projectos estruturantes do sector da água em todas as ilhas.
De acordo com aquele responsável, isto vai acontecer ao mesmo tempo que se procura uma maior consciencialização da população, das autoridades e dos decisores para uma gestão integrada da água.
Com a realização desses projectos, esta instituição pública responsável pela exploração e gestão dos recursos hídricos, tem em vista uma melhor mobilização e utilização da água, uma melhor ocupação do espaço para a agricultura, bem como o aumento do rendimento dos camponeses e a consequente melhoria da qualidade de vida das populações.
Rui Silva apontou como exemplo o caso do projecto de abastecimento de água à ilha de Santiago, que alberga mais da metade da população do arquipélago, a ser executado até 2007.
A primeira fase deste projecto, orçado em 14 milhões de dólares, e a ser financiada pelo Japão, contempla o abastecimento a 34 localidades de todos os concelhos, devendo a segunda beneficiar mais 39 zonas da ilha.
Com do governo da Alemanha, adiantou Rui Silva, "já foi assinado o contrato de contribuição financeira com a Banco Alemão de Desenvolvimento (KFW), que vai permitir a reabilitação e extensão do sistema de distribuição de água nas ilhas do Fogo e da Brava".
A do Maio é outra ilha a ser contemplada com intervenções pontuais nalgumas localidades, já que ela se encontra praticamente abastecida a 100 por cento.
No caso da ilha de Santo Antão, a segunda maior do arquipélago, o presidente do INGH fez saber que também há projectos em curso para a extensão da rede de abastecimento de água a diversas localidades.
Em São Nicolau, está-se a terminar o Plano Sanitário de Ribeira Brava e do Tarrafal, as duas zonas populacionais mais importantes dessa ilha, havendo ainda projectos de abastecimento de água a localidades ainda não contempladas.
Rui Silva destacou, igualmente, o Plano de Desenvolvimento Hidráulico da Bacia de Ribeira Seca, na ilha de Santiago, que vai ser apresentado, nos finais deste mês, aos parceiros para financiamento.
Orçado em dois milhões e meio de contos (cerca de 18 milhões de dólares) , o mesmo prevê o reordenamento da bacia, a mobilização de água e a mobilização dos camponeses.
Concretamente, informou Rui Silva, ele contempla "a barragem de Pilão, já financiadoa pela China, e que vai ser a primeira a ser construída em Cabo Verde.
Outro grande projecto anunciado para 2003 é o arranque do reordenamento das bacias dos Engenhos e Picos, também na ilha de Santiago.
O presidente do INGRH anunciou que estão previstas para o ano em curso outras acções concretas que vão ser feitas em muitas bacias hidrográficas, no quadro do Programa de Investimentos do instituto, a par de um bom pacote de projectos destinados à construção de infra-estruturas para mobilização de água para a rega.
Aliás, precisou, a componente água, ambiente e saneamento representa cerca de 20 por cento desse Programa, que vai proceder à actualização do Plano Nacional de Água, à elaboração do Plano de Nacional do Ambiente e à implementação de projectos de abastecimento de água, ampliação e reabilitação das redes de distribuição de água em diversos centros secundários e localidades.

17 Janeiro 2003 16:25:00


xhtml CSS