Cabo Verde apoia política da UA contra tratamento desigual para mulheres africanas

Praia, Cabo Verde (PANA) - O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca,  disse, domingo, em Joanesburgo (África do Sul), que o seu país apoia e incentiva qualquer política da União Africana (UA) tendente a estimular a mudança de atitude relativamente ao tratamento desigual e marginal infligido às mulheres do continente africano.

O estadista cabo-verdiano fez estes pronunciamentos quando discursava na sessão de abertura da 25ª sessão ordinária da cimeira dos chefes de Estado e de Governo da UA, iniciada domingo e terminada segunda-feira última em Joanesburgo, sob o lema "2015 - Ano do Empoderamento e Desenvolvimento da Mulher Rumo à Agenda 2063 de África".

Jorge Carlos Fonseca apelou aos membros da organização pan-africana para procurarem "agir em conformidade com as diretivas e recomendações adotadas ao mais alto nível da UA".

O chefe de Estado cabo-verdiano aludia à campanha HeForShe das Nações Unidas (ONUMulheres), em que foi escolhido entre  10 rostos mundiais dessa iniciativa, destacando o "inestimável contributo" da mulher cabo-verdiana para a afirmação cultural e o desenvolvimento político e social do país.

Mencionou igualmente a importância da Agenda 2063 no desenvolvimento de África, salientando vários desafios que precisam de respostas adequadas.

Neste sentido, salientou que “os constrangimentos são de ordem política, social, económica e jurídica, e que condicionam a autonomização e o empoderamento da mulher e, consequentemente, o aproveitamento das suas capacidades e dinamismo”.

No seu discurso, citado esta segunda-feira, pela imprensa cabo-verdiana, Jorge Carlos Fonseca aludiu também às eleições presidenciais do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), realizadas a 28 de maio último, a que Cabo Verde apresentou a candidatura da sua atual ministra das Finanças, Cristina Duarte,derrotada na sexta e última volta da votação.

"Compreendo os que, por razões outras, não julgaram oportuno dar-nos o seu apoio, como o fizeram, aliás, noutra oportunidade quando, em 1992, apoiaram a exitosa candidatura de Cabo Verde ao Conselho de Segurança das Nações Unidas", salientou o chefe de Estado cabo-verdiano.

-0- PANA CS/DD 16junho2015

16 juin 2015 09:32:59




xhtml CSS