Cabo Verde anuncia plano para debelar efeitos de eventual mau ano agrícola

Praia, Cabo Verde (PANA) – O Governo de Cabo Verde anunciou, sexta-feira, na cidade da Praia, um plano para debelar as consequências de um eventual mau ano agrícola, face à fraca pluviosidade registada até agora no país, apurou a PANA, na capital cabo-verdiana, de fonte oficial.

Dado a conhecer pelo ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Démis Lobo, o plano, numa primeira fase, a curto prazo, poderá ir até dezembro deste ano.

Incidirá essencialmente numa estratégia de salvamento do gado nas zonas mais afetadas pela seca com um orçamento de aproximadamente 18 milhões de escudos (cerca de 163,6 mil euros).

“Esse plano visa minimizar a falta de água para animais, o acesso à ração animal por parte dos criadores, melhorar a situação nutricional e sanitária do gado para evitar eventuais perdas e preservar a base de reprodução”, explicou o governante.

O programa prevê um segundo cenário de meio de prazo, que deverá iniciar em janeiro e prolongar-se até junho de 2015, caso se confirmem as perpetivas de um mau ano agrícola no arquipélago cabo-verdiano.

Para o efeito, o Governo prevê um montante de 175 milhões de escudos (cerca de um milhao e 600 mil euros) para dar continuidade às políticas do salvamento, do reforço da mobilização de água para o gado e de garantia de meios de rendimento às famílias do meio rural.

A segunda fase ainda prevê a mobilização de água para a melhoria das condições de sustentabilidade da prática agrícola irrigada através, nomeadamente, do equipamento de perfuração, a reparação e ou construção de alguns reservatórios, de condutas de distribuição de água, entre outros.

Está igualmente prevista a implementação de um programa de emprego público, destinado às populações rurais mais afetadas.

Entretanto, o  porta-voz do Governo advertiu que esse segundo cenário é “hipotético” e que só será acionado se efetivamente houver um mau ano agrícola.

Dénis Lobo salientou que não se pode, de momento, afirmar que haverá um mau ano agrícola em Cabo Verde, uma vez que, frisou, as previsões apontam para precipitações nos meses de outubro e novembro próximo.

“De todo o modo, aquilo que garantimos às mulheres e aos homens da terra é que, caso se venha a verificar o cenário de um mau agrícola, o Governo está preparado para os amparar”, precisou.

-0- PANA CS/DD 11out2014


11 Outubro 2014 12:15:48


xhtml CSS