Cabo Verde acolhe simpósio internacional sobre ciência marítima e atmosférica

Praia, Cabo Verde (PANA) – A ilha cabo-verdiana de São Vicente acolhe a partir de quarta-feira um simpósio internacional sobre ciência marítima e atmosférica, no qual deverão  participar  22 cientistas provenientes de sete países, soube a PANA da fonte segura terça-feira.

Neste evento, organizado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas (INDP) de Cabo Verde e pelo Centro Helmhotz Geomar para Pesquisa Oceanográfica da Alemanha, os partcipantes vão apresentar, ao  longo de dois dias, resultados de estudos feitos na região atlântica desta cooperação de longa data entre as duas instituições, nos domínios da geologia, clima, biogeoquímica, biologia e ecologia.

O documento que faz o enquadramento deste simpósio internacional sublinha que se trata de estudos que ajudam uma melhor compreensão dos trópicos, uma região caraterizada por vários eventos climáticos relevantes e onde a atmosfera e o oceano se interagem de forma dinâmica.

Os cientistas vão igualmente inteirar-se dos progressos na construção do Centro Oceanográfico do Mindelo (OSCM, na sigla em inglês), que vai ajudar os investigadores nas suas pesquisas de campo nesta região oeste-africana e proporcionar um ambiente de formação com todas as condições exigidas.

O simpósio terá quatro painéis que vão centrar-se na apresentação da visão estratégica sobre as ciências marinhas e atmosférica e testemunhos de cientistas das universidades de Cabo Verde, Kiel (Alemanha), Federal de Pernambuco e do Rio Grande (Brasil), Dalhousie University (Canadá) e Instituto Gulbenkian de Ciência (Portugal).

O evento é antecedido pela realização, entre 18 a 29 de maio em São Vicente, da 3ª edição da Escola de Verão sobre “Gestão da Biodiversidade do Oceano”. Esta atividade, incorporada no simpósio, é organizada em conjunto pelas várias instituições de ensino superior de todos os países participantes, incluindo Cabo Verde.

Os estudantes vão ter a oportunidade de aprender como os sistemas oceânicos, a ciência e tecnologia podem contribuir para o ecossistema e conhecer a importância futura do Centro Oceanográfico do Mindelo.

Esta é a primeira vez que o programa Helmholtz Research School for Ocean Science and Technology (HOSST)

19 Maio 2015 18:13:11


xhtml CSS