Cabo Verde cria Estatuto do Artesão

Praia, Cabo Verde (PANA) - A discussão e aprovação do Estatuto do Artesão, um documento que visa enquadrar legalmente a profissão do artesão em Cabo Verde, vai ser o ponto alto de mais um Fórum Nacional do Artesanato (FONARTES), que decorre a partir desta terça-feira, na cidade do Mindelo, apurou a PANA de fonte da organização.

Esta que é a terceira edição do FONARTES vai ser a realização do primeiro encontro dos distribuidores de artesanato de Cabo Verde, evento que tem como objetivo criar uma rede  que permita encontrar, num único lugar, trabalhos produzidos em todas as ilhas.

Denominada Rede de Distribuição Nacional de Artesanato (RENDA), a mesma tem como objetivo fazer circular no país e no exterior os produtos produzidos em Cabo Verde.

A RENDA também faz parte de uma iniciativa de Ministério da Cultura para motivar os artesãos, pois, segundo o ministro Mário Lúcio, "é melhor o Estado comprar e armazenar os produtos artesanais, do que ser os próprios artesãos a armazená-los, porque com isso eles perdem a motivação".

No âmbito da política governamental para a promoção do artesanato, foi criado um selo “Criated in Cap Verde”, que irá ajudar não só na promoção do artesanato em si, como também na diferenciação dos produtos nacionais daqueles que são produzidos no exterior.

O artesanato tem grande importância na cultura cabo-verdiana, com realce para a tecelagem e a cerâmica que são artes muito apreciadas no país.

Produzido para utensílio e decoração, o artesanato de Cabo Verde é considerado pelos especialistas como “muito singular e é verdadeiro instrumento de expressão da cultura popular”.

Hoje em dia, é igualmente atração para os turistas que visitam o arquipélago, constituindo, nalguns casos, o seu fabrico e comercialização o único meio de subsistência para algumas famílias.

-0- PANA CS/IZ 12nov2013

12 Novembro 2013 12:29:18


xhtml CSS