CPJ preocupado com agressões de jornalistas no Senegal

Dakar- Senegal (PANA) -- O Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ), sediado em Nova Iorque (Estados Unidos) qualificou de "alarmante" a série de agressões físicas e ameaças repetidas contra jornalistas independentes no exercício das suas funções nestes últimos meses no Senegal.
Numa correspondência dirigida ao chefe do Estado senegalês, Abdoulaye Wade, o CPJ recorda as circunstâncias das diferentes agressões físicas e verbais de profissionais dos médias por elementos da policia e de manutenção da ordem pública, manifestando a sua "profunda preocupação pela tendência contínua da impunidade para os crimes contra os jornalistas".
"Enquanto organização independente, não lucrativa, dedicada a apoiar os nossos colegas no mundo inteiro, solicitamos-lhe para usar da vossa influência a fim de que os que intimidam os jornalistas sejam processados conforme à lei", escreve o CPJ.
Uma série de agressões físicas contra jornalistas senegaleses suscitou a indignação do mundo dos médias.
No sábado passado, o director do Departamento de Desportos da Rádio Futurs Médias (RFM), Babacar Kambel Dieng, e o repórter da estação bilingue West Africa Democracy Radio, Kara Thioune, foram espacandos por policias depois dum jogo de futebol disputado em Dakar entre o Senegal e a Libéria, pontuável para as eleiminatórias combinadas do Campeonato Africano das Nações (CAN) e Mundial 2010.
Policias à paisana da Brigada de Intervenção Polivalente (BIP) agrediram Dieng e Thioune enquanto entrevistavam o defesa senegalês Pape Malikou Diakhaté, segundo os médias locais.
Os jornalistas declararam ao CPJ ter sofrido cetadas de mocas eléctricos, bofetadas e pontapeadas, antes de serem algemados, por se terem recusado a obedecer à ordem de deixar imediatamente os locais.
Jornalistas que cobriam actividades da confreria muçulmana Mouride, politicamente influente no Senegal, foram igualmente agredidos ou ameaçados.
Um repórter do semanário Weekend, Babou Birame Faye, foi igualmente esbofeteado a 13 de Junho passado por Serigne Bara Mbacké, líder principal da confreria Mouride, quando tentava intrevistá-lo na cidade de Mbacké, no leste de Dakar.

28 Junho 2008 20:20:00




xhtml CSS