CPJ pede à Côte d'Ivoire para levantar proibição de rádios e televisões francesas

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA) – O Comité para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), sediado nos Estados Unidos, pediu às autoridades ivoirienses para levantar imediatamente a proibição de emissão dos canais de informação franceses que cobriram as eleições presidenciais controversada na Côte d'Ivoire.

"A suspensão dos canais de informação franceses de grande audiência, que desempenharam um papel importante na cobertura destas eleições, priva os Ivoirienses de várias fontes de informações fiáveis", disse o coordenador de Advocacia para África do CPJ, Mohammed Keita, que apelou «ao CNCA (Conselho Nacional da Comunicação Audiovisual ) a levantar imediatamente esta medida de suspensão».

Um comunicado do CPJ, a que a PANA teve acesso sábado, indica que o CNCA ordenou o escritório local do operador de televisão satélite francês Canal + a suspender todos os canais internacionais de informação acessíveis com assinatura.

O Canal + Côte d'Ivoire conformou-se com esta ordem que abrange 10 canais em língua francesa, disse um dos seus empregados, Clovis Zahui, ao CPJ.

De acordo com o CPJ, o anúncio desta suspensão surgiu algumas horas após a difusão pelos canais televisivos France 24, Africa 24 e outros duma conferência de imprensa na qual a Comissão Eleitoral Independente (CEI) anunciou os resultados oficiais da segunda volta das eleições presidenciais de domingo último que deram vitória de Alassane Ouattara diante do Presidente cessante, Laurent Gbagbo.

Estes resultados foram imediatamente declarados nulos pelo Conselho Constitucional, alegando que eles resultados foram anunciados após o prazo legal, e proclamou a vitória do Presidente Laurent Gbagbo.

Esta medida de suspensão não atinge outros canais emitidos na Côte d'Ivoire a partir da região, como a West Africa Democracy Radio, baseada em Dakar, ou a rádio Africa Numéro 1, baseada no Gabão.

No início do ano, as autoridades ivoirienses tinham suspenso pela primeira vez o canal de televisão  France 24 após a difusão duma reportagem sobre a repressão pelas forças de segurança contra manifestações da oposição.

A Côte d'Ivoire corre o risco de conhecer um outro conflito enquanto o Presidente cessante, Laurent Gbagbo, se prepara para prestar juramento sábado para um novo mandato e o opositor Alassane Ouattara também foi declarado vencedor da segunda volta das eleições de 28 de Novembro.

Este país da África ocidental mergulhou sexta-feira na confusão e na incerteza quando o Conselho Constitucional anulou a vitória de Alassane Ouattara e declarou o Presidente Laurent Gbagbo vencedor.

-0- PANA MA/FJG/JSG/SOC/CJB/TON  04Dez2010

04 Dezembro 2010 13:49:07




xhtml CSS