CPJ condecora jornalista camaronês preso

Yaoundé, Camarões (PANA) – O jornalista camaronês Ahmed Abba, condenado pelo Tribunal Militar de Yaoundé a 10 anos de prisão efetiva, em abril último, estará entre  os laureados do Comité para a Proteção dos Jornalistas (CPJ ), durante a cerimónia de entrega de prémios  da liberdade de imprensa de 2017, a 15 de novembro próximo, em Nova Iorque (Estados Unidos).

Correspondente da Radio France Internationale (RFI) em língua Haussa, Ahmed Abba foi condenado pelo Tribunal Militar de Yaoundé por “branqueamento de atos terroristas”.

Durante a mesma cerimónia, será igualmente premiada a jornalista mexicana Patricia Mayorga, da revista « Proceso », que recebeu ameaças pelas suas reportagens sobre os crimes do partido no poder, os desaparecimentos forçados, o crime organizado e as violações dos direitos humanos no seu país.

Será igualmente distinguido Pravit Rojanaphruk, jornalista e ativista tailandês encarcerado por duas vezes pelos  seus artigos sobre a política e os direitos humanos no seu país.

Faz ainda parte da lista a repórter e blogueira iemenita Afrah Nasser, pelos seus artigos sobre o seu país a partir do seu exílio na Suécia. Ela recebeu várias ameaças por ter denunciado as violações dos direitos humanos e das mulheres,  e a falta de liberdade de imprensa no seu  país.

-0- PANA EB/BEH/FK/IZ 19julho2017

19 يوليو 2017 11:00:51




xhtml CSS