CEN-SAD quer acelerar cadência da marcha da União Africana

N'Djamena- Tchad (PANA) -- A 12ª sessão da Conferência dos líderes e chefes de Estado dos países membros da Comunidade dos Estados Sahelo-Sarianos (CEN-SAD), que findou sexta-feira à noite em N'djaména, advogou a criação rápida duma estrutura mais forte, mais estruturada e dotada de poderes e competências supranacionais no âmbito da promoção das instituições da União Africana (UA).
No comunicado final da reunião, publicado sexta-feira, os dirigentes da CEN- SAD exortaram os países membros a envidarem esforços para impulsionar a sinergia CEN-SAD nos debates e no processo de transformação da Comissão da UA numa Autoridade da União.
A CEN-SAD não vai aceitar que a mudança seja apenas uma mudança de denominação, sublimharam os seus líderes.
Para o efeito, o encontro encarregou o presidente em exercício da CEN-SAD e chefe dpo Estado tchadiano, Idriss Déby Itno, a dizer à cimeira da UA que se inicia a 25 de Julho em Kampala (Uganda) que "há onze anos nenhum progresso foi realizado no desdobramento político e institucional da UA por causa das divergências e divisões".
A CEN-SAD lançou um apelo insistente a todos os países africanos para que respeitem os compromissos assumidos e se empenhem na criação efetiva do Governo da União .
Os países membros da CEN-SAD vão, custe o que custar, proceder à implementação das medidas tomadas neste sentido.
A conferência é de opinião que a UA deve ser uma verdadeira estrutura de integração com poderes supranacionais nas áreas da política estrangeira, do comércio internacional, da defesa comum, executados por órgãos eficientes de coordenação, evitando ao mesmo tempo a desordem institucional vista atualmente nos órgãos da UA.
Para a CEN-SAD, o projeto político e institucional da UA deve ser aplicado com base em duas opções.
A primeira consiste em conservar a estrutura atual da Comissão com o alargamento das áreas de competência dos Comissários que terão a responsabilidade de presidir a reuniões setoriais dos ministros a nível continental.
A segunda opção, segundo a CEN-SAD, concerne à abertura do Conselho Executivo da UA aos ministros da Educação, do Desenvolvimento Rural, da Saúde e da Defesa, entre outros.
Os líderes e os chefes de Estado dos países membros da CEN-SAD congratularam-se com a proposta da Líbia de colocar à disposição da UA o complexo das conferências de Ouagadougou em Sirtes (centro da Líbia) a favor da UA para que lá decorram, doravante, as sessões de Julho da UA.
A CEN-SAD reafirmou, por outro lado, a reivindicação legítima da África de ser representada no Conselho de Segurança das Nações Unidas com todas as prerrogativas conferidas a qualquer membro permanente a fim de reparar a injustiça histórica contra o continente africano.

24 Julho 2010 12:48:00




xhtml CSS