CEN-SAD condena qualquer forma de tomada de poder pela força

Niamey- Níger (PANA) -- A Comunidade dos Estados Sahelo-Saharianos (CEN-SAD) "condena energicamente" qualquer violência e toda tentativa de tomada de poder pela força, declarou domingo o secretário geral desta organização regional, Mohamed El Madani.
"O presidente garantiu-me que a Comunidade condena energicamente todo tipo de violência e qualquer tentativa de tomada de poder pela força.
Só há um meio de chegar ao poder, que é a via pacífica", numa alusão as eleições, acrescentou Madani, no final de uma audiência com o novo presidente em exercício da CEN-SAD, Mamadou Tandja (presidente do Níger).
Madani declarou ter mantido encontro com o presidente Tandja sobre "a grave situação prevalecente actualmente na R.
Centroafricana", um país membro da CEN-SAD.
Fez saber que o chefe do Estado nigerino está em contacto com os seus homólogos da Comunidade, em particular com o medianeiro da paz no espaço CEN-SAD, Mouammar Kadhafi, os presidentes congolês, Denis Sassou N'Guesso, e gabonês, Omar Bongo, bem como com todos os dirigentes dos Estado vizinhos da R.
Centroafricana (RCA) "para verem como trabalharem juntos a fim de encontrarem uma solução pacífica a esta situação".
A 5ª cimeira da CEN-SAD realizou-se de 14 a 15 de Março em Niamey (Níger), na presença de 13 chefes de Estado, dos quais Ange-Félix Patassé, destituído sábado por golpe de Estado militar quando regressava ao seu país.
Numa declaração adoptada em Niamey, os chefes de Estado da CEN- SAD comprometeram-se a promover a prevenção dos conflitos, a cultura da paz e o diálogo como forma de gestão dos conflitos internos.
Decidiram também "valorizar as aproximações e mecanismos de prevenção dos conflitos e de promoção da cultura da paz existente no seio das suas sociedades respectivas e criar um quadro de troca de experiências nesta matéria".

16 مارس 2003 20:13:00




xhtml CSS